Projeto Alfabetizar Letrando
| 20.06.12 - 17h33

Escolas do Recife apresentam projetos exitosos

Seis projetos pedagógicos foram apresentados por unidades municipais para representantes de 120 escolas do Recife

Por Caio Dias

Divulgar as ações de sucesso realizadas nas unidades educacionais e enriquecer o ensino na rede municipal. Esses são os objetivos do Projeto de Participação Regional (PPR), promovido pela Secretaria de Educação, Esporte e Lazer (Seel). As experiências mais destacadas do projeto foram apresentadas na manhã desta quarta-feira (20), no Centro de Formação de Educadores Paulo Freire, Bairro da Madalena.

A socialização do painel de ações positivas proporcionou aos representantes das 120 unidades de ensino conhecer as ações desenvolvidas pela comunidade escolar. Uma das mais destacadas apresentações foi a da Escola Municipal Nadir Colaço, da Macaxeira. A unidade tratou sobre o Projeto Alfabetizar Letrando: Por uma cultura de paz. O trabalho prioriza oficinas de leitura e de escrita, atrelado a um diagnóstico do nível de aprendizagem de cada estudante e de formas de inclusão ao mundo do conhecimento.

A experiência da Escola Municipal Antônio de Brito Alves, na Mustardinha, socializou as publicações “As Novas Aventuras da Branca de Neve”, “Escrevendo com Ruth Rocha” e “Pensando a Educação com Paulo Freire”, trabalhos produzidos a partir das atividades de leitura e de escrita fomentadas em sala de aula.

O Projeto Flor de Lótus, da Escola Municipal Arraial Novo do Bom Jesus, no Bairro dos Torrões, trouxe a importância do bem estar e do equilíbrio emocional e, respectivamente, suas implicações nas relações interpessoais da comunidade escolar. Através de técnicas de meditação, florais, construção de mandalas e danças circulares o projeto mostra como é possível enfatizar a formação humana e a harmonia no ambiente escolar.

A Escola Municipal Asa Branca, no Ibura, enfatizou os Projetos Mala de Leitura, no qual livros diversos são compartilhados para leitura individual e a Exposição Literária da Escola Asa Branca (Expolab), com socialização das produções textuais dos estudantes. Além disso, foram apresentados o uso do banco de dados de gêneros textuais que a Unidade utiliza e a importância dos jogos e da música no recreio escolar como formas de interação entre os estudantes.

A proposta da Escola Municipal Miguel Arraes, no Ipsep, representado pelo Projeto de Intervenção da Leitura e Escrita (Alfaletrando) traz à baila a integração dos Projetos Mais Educação e Lição de Vida para incentivar a prática da leitura e da escrita aos estudantes. O contato e o conhecimento de jogos e textos servem como mote para desenvolver atividades de produção de textos e ampliação vocabular.

A Escola Municipal Nilo Pereira, em Casa Amarela, apresentou o Projeto Eu me vejo, eu me amo, que tem o objetivo de minimizar a violência através do conhecimento e aceitação do próprio corpo. A unidade escolar socializou depoimentos dos estudantes e dos professores sobre os espelhos de quase 2 metros espalhados na área interna da escola.

Para a Secretária de Educação do Recife, Ivone, Caetano, esses projetos devem ser compartilhados entre os gestores escolares, para que outras propostas, também exitosas, possam ser socializadas. “Enquanto educadores, nós somos responsáveis em fazer a diferença na transformação da sociedade. Os projetos apresentados pelas escolas contribuem para formar cidadãos conscientes, humanizados e integrados com a sociedade”, destacou.


Imprimir

Os comentários estão encerrados.