Via Mangue
| 22.01.13 - 15h20

Geraldo busca acelerar a construção da Via Mangue

Geraldo Julio e Luciano Siqueira vistoriam a Via Mangue (Foto: Andréa Rêgo Barros / PCR)

Geraldo Julio e Luciano Siqueira vistoriam a Via Mangue (Foto: Andréa Rêgo Barros / PCR)

O prefeito Geraldo Julio vistoriou, na manhã desta terça-feira (22), os trechos 3 e 4 das obras que integram o complexo viário da Via Mangue, entre os bairros do Pina e Boa Viagem. Antes, o prefeito reuniu-se com a diretoria da construtora Queiroz Galvão e cobrou mais agilidade na intervenção, prevista para ser finalizada em abril de 2014. O gestor quer que a empresa adiante o cronograma de execução e finalize a obra antes desse prazo.

“Essa é uma obra de mobilidade extremamente importante, por isso que eu fiz questão de conhecer de perto. Essa obra vai impactar muito em toda a Zona Sul da cidade. Solicitei que fosse feito um estudo de engenharia para tentar reduzir esse prazo”, explicou Geraldo Julio, ao fim da vistoria.

A primeira parada do prefeito foi na fundação da ponte estaiada da ponte Paulo Guerra. Depois, Geraldo inspecionou os equipamentos da ponte balanço sucessivo sobre a Lagoa do Encanta Moça; todas localizadas no trecho 4 da obra. Já no trecho 3, a vistoria foi feita no Canteiro Móvel, no final da via elevada – intervenção que vai ligar o Aeroclube à Rua Antônio Falcão, chegando à comunidade “Deus nos Acuda”.

Equipe da Prefeitura (Foto: Andréa Rêgo Barros / PCR)

Equipe da Prefeitura (Foto: Andréa Rêgo Barros / PCR)

Para garantir a construção da Via Mangue, serão utilizados recursos da Prefeitura do Recife e do Governo Federal, através do PAC Mobilidade. “Dos R$ 460 milhões que totalizam a obra, R$ 140 milhões já foram pagos, já foram realizados”, pontuou Geraldo Julio.

Márcio Rodrigues, 35 anos, é um dos responsáveis pela parte de serviços gerais do trecho quatro da Via Mangue. Emocionado, o trabalhador ficou muito contente com a visita do prefeito e foi agradecê-lo pessoalmente. “O senhor esteve na minha comunidade na época da campanha, lá no Bode. Acredito no seu compromisso com o povo. Agora, a obra aqui na via vai andar”, comemorou.

OBRA – Proposta para desafogar o fluxo na Zona Sul, a Via Mangue envolve o trabalho de quase 1.500 funcionários, 154 equipamentos (Caminhões, guindastes, dragas); para a construção de viadutos, uma ponte estaiada com uma altura de 70 andares (equivalente a um prédio de 23 andares) e uma pista dupla, com 4,7 hectares de extensão.

A obra utiliza técnicas modernas de construção com o emprego de um equipamento denominado Cantitraveller, capaz de fincar as estacas e montar as placas ao mesmo tempo. Todo o material é pré-fabricado e montado no local. Dessa forma, o impacto gerado ao meio ambiente é reduzido ao máximo. Além disso, a empresa mantém um viveiro para produção de mudas de plantas nativas do mangue para implantação de uma área de recuperação ambiental com uma área de 3,2 hectares.


Imprimir

Os comentários estão encerrados.