NOTÍCIAS

Educação | 05.09.17 - 15h37

Recife Através dos Tempos desembarca na Prefeitura

img_alt

A mostra traz gravuras em nanquim feitas pelo artista Terciano Torres impressas em grandes formatos e retrata a evolução urbana e o desenvolvimento sociocultural da cidade através de imagens panorâmicas em grandes formatos. (Foto: Inaldo Lins/PCR)

 

O hall da Prefeitura do Recife se transformou em uma galeria de arte ao abrigar a exposição Recife Através dos Tempos, sucesso de público durante o tempo em que passou na CAIXA Cultural Recife, no primeiro semestre deste ano. A mostra traz gravuras em nanquim feitas pelo artista Terciano Torres impressas em grandes formatos e retrata a evolução urbana e o desenvolvimento sociocultural da cidade através de imagens panorâmicas em grandes formatos. A Prefeitura recebe cerca de seis mil visitantes diários e a exposição se estende até o final do mês de setembro.

A mostra, que já foi conferida por mais de 40 mil pessoas, celebra em grande estilo a relação entre habitantes, cidade e história, comemorando ainda o aniversário de 480 anos do Recife e os 200 anos da Revolução Pernambucana. “Recife Através dos Tempos” mostra toda a evolução urbana da cidade de uma forma lúdica e revela os fatos históricos e peculiaridades do povo através de 32 gravuras. “Buscamos oferecer aos visitantes meios para que eles se apropriem da paisagem cultural e histórica da cidade, assim todos poderão perceber a dimensão do Recife enquanto espaço de vivências coletivas e patrimônio que se fez ao longo dos tempos”, explica Terciano Torres.

As obras estão distribuídas ao longo das rampas de acesso ao prédio principal e o hall, por sua vez, abriga livro gigante sobre o Recife, no qual o visitante pode desenhar ou escrever sugestões para o futuro da cidade.  A exposição é realizada pela empresa B52 Desenvolvimento Cultural com patrocínio da Caixa Econômica Federal e Governo Federal, copatrocínio da Secretaria de Educação e Prefeitura do Recife, e apoio cultural do Instituto dos Arquitetos do Brasil- IAB- PE. 

A servidora municipal, Patrícia Ferreira, gostou tanto da exposição que tirou um “selfie” ao lado de um dos painéis. “As gravuras despertaram minha atenção, não só pela beleza plástica, mas também por contarem a história do Recife de forma divertida e lúdica. Em minha opinião, esse formato acaba despertando o interesse de todos, especialmente das crianças e dos jovens”, opinou.

A arquiteta Mônica Silva de Lima, que passou parte da manhã na Prefeitura  resolvendo pendências tributárias, resolveu visitar a exposição. “Foi uma grata surpresa. O que me chamou mais atenção foi a evolução cronológica dos painéis, além do estilo simples e bonito dos desenhos. Vou trazer meus filhos”, prometeu.

Quem também retardou os passos em direção ao estacionamento para ver os desenhos foi a estudante de Informática, Fernanda Campello. “Eu faço estágio no Porto Digital e sempre venho à PCR para pagar as contas na Casa Lotérica ou no Banco do Brasil. Achei essa mostra muito legal, especialmente porque o artista mantém boa parte das gravuras em branco e preto e coloriza apenas o que merece ser destacado. É uma forma original de chamar atenção e ajudar no aprendizado”, ressaltou.

Saiba mais - O artista plástico Terciano Torres nasceu no Recife e passou a infância em São Luís, no Maranhão. Os patrimônios histórico e arquitetônico das duas cidades foram determinantes para o artista. Utilizando-se da técnica da macrografia, os mapas da evolução urbana dos principais centros históricos do Brasil que ele desenvolve possibilitam ao observador descortinar, de maneira lúdica e educativa, como, ao longo dos tempos, a paisagem cultural foi recebendo intervenções até chegar ao formato atual.