NOTÍCIAS

Educação | 12.03.19 - 18h39

Maestro Spok agita aula inaugural do Travessia

img_alt

No dia do aniversário do Recife, a atividade pedagógica incluiu lançamento do Caderno de Cultura. (Foto: Inaldo Lins/PCR)

 

O Frevo do Maestro Spok deu o tom da aula inaugural do projeto Travessia Recife, realizado nesta terça-feira (12), no auditório do Banco Central. O evento, que também marcou o aniversário do Recife, reuniu estudantes, professores e gestores das escolas municipais, além do secretário de Educação, Bernardo D’Almeida, da gerente geral de Educação da Fundação Roberto Marinho, Vilma Guimarães, entre outros.

Emocionado com o encontro, o secretário Bernardo D’Almeida falou sobre a importância da data. “A Prefeitura vem investindo para dar um ambiente escolar de qualidade para vocês. Para vencer esta etapa é preciso dedicação e vontade de vencer. Então, desejo que todos tenham força para fazer um 2019 de sucesso”, destacou.

Já o maestro Spok bateu um papo com os alunos e contou um pouco sobre sua trajetória na música. “Venho de uma escola pública.  Ela foi uma das grandes responsáveis por me apresentar a arte e os grandes mestres que fizeram parte da minha vida e da minha profissão. Hoje vocês tem uma grande oportunidade, então, persistam nos seus sonhos e se orgulhem da sua história. Vocês podem chegar muito longe”, contou.

Desenvolvido pela Secretaria de Educação do Recife, em parceria com a Fundação Roberto Marinho, o Travessia permite a correção de uma distorção de idade-série de quatro anos num período de um ano e meio. O aluno matriculado deixa de assistir às aulas regulares e entra numa turma específica do curso, que é baseado em tele-aulas somadas à presença de um professor mediador em cada sala.

Na ocasião, os alunos também puderam conhecer o Caderno de Cultura do Recife, que reúne as histórias, as tradições, os saberes e fazeres da capital pernambucana. A publicação, idealizada pela Fundação Roberto Marinho, é um ponto de partida para que os professores, estudantes e suas famílias aprofundem seus conhecimentos sobre a cidade e se inspirem a criar muitos outros cadernos de Cultura.

Vilma Guimarães, gerente geral de Educação da Fundação Roberto Marinho, destacou a importância do projeto para a vida dos alunos. “Vocês que vão cuidar do Recife e das próximas gerações, então, agarrem essa oportunidade. Apesar dos obstáculos, se sintam produtivos e se comprometam para que no final do ano possamos fazer uma bela formatura”, pontuou.