Secretaria de Planejamento, Administração e Gestão de Pessoas

NOTÍCIAS

Administração | 29.11.18 - 12h44

Prefeitura do Recife injeta mais de meio bilhão na economia da cidade com pagamento de três folhas em 29 dias

Valor referente ao pagamento das folhas de novembro, do 13º salário e de dezembro chega a R$ 550 milhões. Servidores receberão nos dias 30/11, 20 e 28/12 respectivamente

 

A Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Planejamento, Administração e Gestão de Pessoas, e da Secretaria de Finanças, anunciou nesta quinta-feira (29) o calendário de pagamento da folha dos servidores do município referentes aos meses de novembro, dezembro e do 13° salário dos servidores do município.  Os 38.668 servidores da administração direta e indireta, e ainda aposentados e pensionistas do município receberão o salário de novembro já nesta sexta-feira (30). O pagamento do 13º salário será realizado no dia 20 de dezembro, em parcela única, e a remuneração de dezembro será liberada no dia 28/12. 

O secretário-executivo de Administração e Gestão de Pessoas, Carlos Muniz, destacou que as folhas de novembro e dezembro juntas somam cerca de R$ 380 milhões e o abono natalino representa mais R$ 171 milhões "As três folhas somam mais de meio bilhão de reais, um valor significativo que impacta na economia local e na vida dos servidores", frisou Muniz.

O secretário de Finanças Ricardo Dantas explica que não é uma tarefa fácil, mas Recife vem honrando seus compromissos principalmente com os servidores, pagando, ao longo de todo o ano, o salário em dia, e agora anunciando o pagamento de três folhas em menos de um mês, quando a muitos municípios no Brasil não conseguem fechar as suas contas devido à crise.

Dantas revela qual é a receita que a gestão vem usando, desde que a crise atingiu o país em 2014. "Recife cortou seus gastos sem reduzir a qualidade do serviços prestados à população, em um momento em que muitas pessoas têm a sua renda reduzida e passam a se utilizar das escolas e dos serviços de saúde públicos em substituição aos planos de saúde e escolas particulares, por exemplo. Também está melhorando a arrecadação do município sem aumentar os tributos e vem combatendo a sonegação, premiando o contribuinte adimplente com o município", explicou. 

Em 2018, o município não contou com recursos extras a exemplo da repatriação, da licitação da folha ou da Emenda Constitucional 84/2014, que aumentou em 1% o Fundo de Participação dos Municípios. Este ano, o ISS, pela primeira vez, passou a ser a maior fonte de receita para o Recife, ajudando o município nesse equilíbrio financeiro. "É importante ressaltar que o nosso desafio é diário, pois precisamos manter e muitas vezes ampliar serviços sem aumentar na mesma proporção esses custos", declara Ricardo Dantas.