Comunicação
| 11.03.14 - 09h49

Seminário sobre Comunicação Pública qualifica debate para a Rádio Frei Caneca

 

Os interessados em contribuir na formatação da Rádio Frei Caneca FM podem deixar suas sugestões no www.freicanecafm.org. (Foto: Inaldo Lins/PCR)

Um público representativo da sociedade civil organizada e do poder público compareceu ao auditório do Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (Mamam), na Boa Vista, na tarde desta segunda-feira (10), para participar do Seminário Sistemas de Comunicação Pública, que teve por objetivo apresentar experiências para embasar a implantação da Rádio Frei Caneca FM. Promovido pela Fundação de Cultura Cidade do Recife (FCCR), o encontro deu início ao processo de discussão dos três Grupos de Trabalho (GTs) que irão definir metas para os temas Operacionalização, Programação e Financiamento da emissora pública municipal.

O presidente da FCCR, Roberto Lessa, que participou do encontro e fez a fala de abertura, pontuou a importância do debate para adequação do papel da Rádio aos anseios da população. “Antes de começar o processo de implantação da rádio, temos que estar muito cientes de onde queremos chegar. Enquanto sociedade, porque queremos uma rádio? Pra que ela vai servir? Como ela vai agregar? Importante ressaltar também que as experiências apresentadas são modelos, mas temos que considerar as nossas características, culturais e sociais, para pensar o nosso próprio caminho”, disse.

Conduzindo o diálogo, estiveram a professora da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) e integrante do Conselho Curador da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Ana Veloso, o diretor da TV e Rádio Educativa da UFMG, Kiko Ferreira, e o coordenador de Programação da Rádio UFSCAR de São Carlos (SP), Lucas Ferreira.

Nas falas, o destaque de Ana Veloso para a importância da formação de um Conselho plural, com caráter deliberativo, que possa refletir a “diversidade, a universalidade e a independência da comunicação pública”. Ela, que também é professora de comunicação, colocou como um dos grandes desafios da emissora municipal produzir conteúdo de qualidade. “A Frei Caneca e as rádios públicas em geral devem se diferenciar pelo nível da produção educativa, cultural e artística, mas o jornalismo também tem que se fortalecer dentro das rádios. Um dos papéis que precisamos reforçar é o do jornalismo voltado para o interesse público. Está comprovado que o jornalismo, as reportagens, vêm perdendo espaço na grade de programação das emissoras e temos que ter em mente que desinformação também é falta de ética”, apontou.

Kiko Ferreira, da rádio mineira, ressaltou a necessidade de se pensar no padrão digital e na convergência midiática, usando também as ferramentas e linguagens da web e do audiovisual. Já Lucas Ferreira, da Rádio UFSCAR, centrou sua fala no uso de plataformas livres (de código aberto) para operação, gravação e automação dos programas – revertendo custos de licença de softwares proprietários para produção e recursos humanos –, e no acesso da comunidade na execução da programação: “A rádio pública tem uma capacidade enorme de articular e propor novos olhares ao se unir com as pessoas daquela região”.

O produtor musical e representante do Conselho da Empresa Pernambuco de Comunicação (EPC), Paulo André, que integra o GT de Programação, saiu otimista do Seminário. “A expectativa para a próxima etapa (de elaboração de propostas) é a melhor possível. A gente imagina uma rádio que traga informação pra comunidade, cultura, e uma programação voltada pra uma música que não está na grande mídia, uma música que é desconhecida da população. Eu que trabalho com cultura há mais de 20 anos sei o quanto é importante uma boa rádio pública, oxigenada, sintonizada com o tempo e espaço que a gente vive. Vai trazer muita coisa boa para a cidade como um todo, todas as áreas da cultura carecem do quesito difusão”, afirmou.

O calendário dos GTs está distribuído da seguinte maneira: nos dias 17, 24 e 31 de março e 7 de abril, encontram-se os integrantes do tema Operacionalização; 18 e 25 de março e 1º e 8 de abril, acontecem as reuniões para tratar sobre Programação; e 19 e 26 de março e 02 e 09 de abril, serão realizadas as discussões sobre Financiamento. A reunião geral para finalização das propostas dos Grupos de ocorrer no dia 15 de abril.

, site para acompanhamento e participação da construção coletiva da emissora. No espaço, foram disponibilizados o calendário das reuniões dos Grupos de Trabalho, a apresentação da Frei Caneca FM, uma rádio web experimental, com repertório pernambucano, e um formulário para participação do cidadão na elaboração das propostas.


Imprimir

Os comentários estão encerrados.