Secretaria de Política Urbana e Licenciamento

NOTÍCIAS

Política Urbana | 04.07.22 - 12h09

PCR entrega primeiro lote dos novos quiosques da orla em julho

img_alt

Os seis primeiros equipamentos entrarão em funcionamento nos próximos dias. Ao todo, 18 estão em obras ou já concluídos no momento. (Foto: Edson Holanda/PCR)

 

As obras dos novos quiosques da orla de Boa Viagem e Pina seguem em ritmo acelerado e o prefeito do Recife, João Campos, conferiu de perto, nesta segunda-feira (4), o andamento dos serviços no primeiro lote, com seis equipamentos, que será entregue já neste mês de julho. A orla conta com 60 quiosques e o plano prevê a intervenção em 10 etapas, com obras acontecendo simultaneamente em seis quiosques em cada etapa. Com um investimento de R$ 8,6 milhões na construção das novas estruturas, as obras estão sendo realizadas seguindo o que foi acordado e aprovado junto à Associação dos Barraqueiros de Coco do Recife (ABCR).

Durante a visita aos quiosques, o prefeito do Recife verificou os detalhes das novas estruturas. “A gente está aqui no primeiro quiosque pronto da Avenida Boa Viagem, deste primeiro grupo de seis espaços. Uma inovação que fizemos foi trazer o depósito para dentro, o que era uma reivindicação antiga, e com isso conseguimos aumentar a área interna, antes eram 7 m² e agora são 16 m²”, explicou João Campos. “Lembramos que são 18 quiosques em obras e os seis primeiros serão entregues em julho. A gente vai requalificar, fazer esse novo projeto, nos 60 quiosques da orla de Boa Viagem e do Pina. Nossa orla é o espaço mais utilizado para lazer no Recife, com 67% dos recifenses reconhecendo que esse é nosso principal ativo de lazer e entretenimento. É por isso que a gente tem que cuidar tão bem da orla do Recife, já que ela é de todos nós”, finalizou.

O lote 1 contempla os quiosques 60, 59 e 58, que estão com 100% das obras concluídas, e 56, 54 e 44 com obras em andamento, que serão entregues para funcionamento até o final deste mês de julho. Em paralelo, acontece a execução simultânea dos quiosques de lote 2, com 40% da obra executada e lote 3 já em isolamento para início dos trabalhos. Com isso, há atualmente 18 quiosques em execução total, gerando um avanço de 15% global da obra e com geração de 90 empregos diretos na construção civil.

Os novos quiosques terão tamanho padrão de 39,8m² de área coberta, sendo 12,14m² de área interna - maiores que as estruturas atuais. A ideia do projeto é realizar a transição entre o ambiente natural da praia e o construído - calçadão e avenida - mantendo aspectos de segurança, durabilidade, manutenção, funcionalidade e acessibilidade. O sistema de lajes de concreto de alto desempenho vai garantir segurança e durabilidade aos quiosques, além de facilitar a manutenção. A acessibilidade está contemplada no projeto - os equipamentos têm previsão de balcão acessível para atendimento de cadeirantes. O projeto terá forte identidade recifense, com a preservação da herança arquitetônica, da memória urbana e da cultura popular da cidade. A laje plana projetada dialoga com a linha do horizonte da praia.

O concreto pigmentado na cor areia confere originalidade e contemporaneidade ao conjunto dos quiosques, como encontrado no Museu Cais do Sertão em Recife, no Paço das Artes em São Paulo, no Museu Casa Paula Rego em Portugal, ou mesmo, no Museu Iberê Camargo em Porto Alegre com o concreto branco estrutural. O painel de azulejaria de tradição portuguesa e largamente utilizado na arquitetura moderna brasileira e pernambucana - a exemplo dos encontrados no Edifício Acaiaca em Boa Viagem, Edifício Barão de Rio Branco na Boa Vista, do arquiteto Delfim Amorim e nos volumes das cascas de cobertas pré-moldadas de Armando de Holanda no Parque dos Guararapes - foi incorporado ao projeto, com um redesenho das antigas velas e ondas das calçadas da Avenida Boa Viagem, se transformando num momento de resgate da memória urbana do Recife. Os azulejos revestirão os depósitos que irão auxiliar na organização do novo layout interno. Os beirais amplos dos quiosques trarão sombras mais  generosas, dando o conforto ambiental tão necessário nas cidades tropicais.