Secretaria de Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas sobre Drogas e Direitos Humanos

NOTÍCIAS

Assistência Social | 27.07.22 - 17h57

Em dois meses, Prefeitura do Recife investe mais de R$ 100 milhões em recursos com AME, obras e ações de proteção social

img_alt

Mais de 17,6 mil famílias da cidade já foram contempladas com o auxílio. Campanha Recife Solidário arrecadou mais de 321 mil toneladas de donativos. Vinte e quatro obras de urbanização estão em execução. Mutirões de limpeza retiraram mais de 82 mil toneladas de lixo e entulhos (Foto: Dondinho/PCR)

Dois meses após o maior desastre climático da história da cidade, um mutirão de ações e serviços vêm ajudando a população afetada a retomar a vida. Sob a coordenação da Prefeitura do Recife, 17.681 mil famílias receberam o Auxílio Municipal e Estadual (AME), no valor de R$ 2.500,00, como forma de amenizar os impactos e as perdas decorrentes das chuvas. Esse apoio se soma as 1.121 famílias incluídas no auxílio moradia, que teve o benefício ampliado em 50%, saindo de R$ 200,00 para R$ 300,00 por mês. Em relação ao AME, entre as localidades beneficiadas que já receberam aportes estão regiões como Imbiribeira (1883 famílias), Ibura (1824), Torrões (1304), Areias (1.099) e Caçote (916). 

 

Paralelo aos recursos financeiros, o Plano Encosta segue a pleno vapor, com a execução de 24 obras de contenção em áreas prioritárias, totalizando mais de R$ 40 milhões em investimentos, levando segurança a 600 famílias. Na Defesa Civil, mais de 1,1 milhão de metros quadrados de lonas plásticas foram colocadas, para minimizar os transtornos em áreas de risco. Ao todo, os recursos investidos diretamente nas ações para amparar as vítimas ultrapassam R$ 100 milhões.

 

CADASTRAMENTO E PAGAMENTO DO AME - Desde o dia 6 de junho, equipes da Defesa Civil, Assistência Social e de agentes comunitários de saúde (ACS) e de combate a endemias (asaces) cadastraram cerca de 40 mil famílias no AME. Desse total, 17.681 famílias estão com o dinheiro em conta, através do aplicativo “Carteira bB”, do Banco do Brasil. O valor total desembolsado até o momento chega a R$ 44.202.500,00. Estão aptas a receber o apoio financeiro, custeado pela Prefeitura do Recife, Câmara Municipal de Vereadores e Governo de Pernambuco, as pessoas que tiveram imóveis atingidos por alagamentos e/ou danos materiais relevantes; inseridas nas áreas de vulnerabilidade social indicadas pela Defesa Civil e Secretaria de Desenvolvimento Social, Direitos Humanos, Juventude e Política sobre Drogas (SDSDHJPD); e estão cadastradas no CadÚnico, do governo federal. Os bairros com maior número de beneficiados são: Imbiribeira, Ibura, Torrões, Areias, Caçote, Afogados, Várzea, Curado, Iputinga, Coqueiral.

 

AUXÍLIO MORADIA AMPLIADO EM 50% - Somando à ajuda financeira para o recomeço, em junho a Prefeitura do Recife aumentou em 50% o valor do auxílio-moradia do município, subindo de R$ 200,00 para R$ 300,00 mensais. Essa atualização teve efeito aos atuais beneficiados, além das 1.121 famílias que foram impactadas pelas chuvas e cadastradas para receberem o benefício. Atualmente, 7.105 famílias recebem o benefício na cidade.

 

REFORÇO NO ATENDIMENTO AO CADÚNICO - De modo a regularizar a situação cadastral das vítimas das chuvas, a Prefeitura do Recife estendeu o horário de funcionamento e passou a abrir aos sábados a Central do CadÚnico e nos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS). A medida buscou ampliar o número de pessoas atendidas para inclusão no CadÚnico - uma das prerrogativas para acessar o AME - e/ou atualizar as informações junto ao governo federal. Até o momento, Oferecendo mais comodidade aos usuários, a Central mudou de endereço e aumentou a capacidade, saltando de 350 atendimentos para 600 por dia.

 

DEFESA CIVIL INTENSIFICA AÇÕES - Nos últimos dois meses, a Defesa Civil do Recife realizou 8.705 vistorias em diversas áreas de risco da cidade, com destaque para as localidades onde ocorreram grandes deslizamentos, como as comunidades de Jardim Monte Verde, Vila dos Milagres, Pantanal e Lagoa Encantada. Mais de 3 mil ocorrências foram registradas nesse período, por meio da Central de Atendimento. Entre elas, 1.123 ocorrências de deslizamentos de barreiras e 1.306 de registros de imóveis com danos ou risco. Um dos serviços mais requisitados foi a colocação de pontos de lona em 3.739 locais, chegando a uma área coberta de 1.155.628 m². Com as atividades intensificadas, a Defesa Civil registrou um total de 6.441 serviços de capinação, roçagem, corte de árvores de pequeno porte, mapeamento de áreas de risco, realizados em todo território para mitigação do risco.

 

Na área social, foram realizadas 9.177 ações voltadas para a população afetada. Também foram entregues 1.855 materiais de ajuda humanitária, entre colchões, cestas básicas, cobertores e kits de higiene. A Defesa Civil registrou ainda 5.680 atendimentos sociais e realizou a remoção de 1.016 famílias para casa de parentes. Em relação aos auxílios concedidos, foram beneficiadas 853 pessoas no Auxílio Moradia até o presente momento. A Defesa Civil do Recife trabalhou com um efetivo de 300 profissionais, entre assistentes sociais, engenheiros civis, arquitetos, técnicos em engenharia, psicólogos, geólogos, geógrafos e equipe operacional.

 

ENCOSTAS EM CONSTRUÇÃO - Com o intuito de garantir mais segurança nos morros da cidade, especialmente nas áreas de maior risco, a Prefeitura do Recife está com obras de contenção definitiva de encostas em execução em 24 barreiras. A ação tem investimento que ultrapassa a ordem de R$ 40 milhões e está sob coordenação da Autarquia de Urbanização do Recife (URB). Ao final das obras, mais de 600 famílias serão beneficiadas diretamente. Os serviços de estabilização de encostas, construção de muros de arrimo e serviços de drenagem foram iniciados nos bairros de Nova Descoberta (3), Passarinho (3), Alto José Bonifácio (4), Beberibe (3), Dois Unidos (1), Mangabeira (1), Vasco da Gama (2), Brejo da Guabiraba (3), Jordão Alto (1), Várzea (1), Ibura (1). Mais sete irão começar no início desse semestre: Ibura (1), Córrego do Jenipapo (1), Alto José do Pinho (1), Brejo da Guabiraba (1), Alto José Bonifácio (1), Coqueiral (1) e Nova Descoberta (2).

 

ABRIGOS PARA ACOLHER A POPULAÇÃO - Para acolher as vítimas das chuvas, a Prefeitura do Recife montou abrigos temporários em escolas e creches da rede municipal de ensino, bem como em igrejas, associações e entidades. O município chegou a manter 44 espaços de acolhimento no ápice da demanda, onde foram atendidas 3.427 famílias com refeições, atendimento médico e acolhimento psicossocial, vacinação e consultas veterinárias. Com a retomada gradual das famílias às suas residências de origem, os abrigos temporários foram sendo, gradativamente, desativados para que as crianças da rede de ensino possam retomar as atividades pedagógicas de forma presencial e garantir o seu pleno direito constitucional do acesso à educação.

 

Em todos os abrigos, a população assistida pode contar com diversos serviços de Saúde. Nesse período foram realizadas 2.178 consultas médicas, 358 atendimentos em saúde mental, 9.073 medicamentos distribuídos, 6.836 vacinas aplicadas - covid-19, influenza e outras -, além de 2.588 soluções de hipoclorito entregues às pessoas. Os mutirões envolveram o trabalho de 1.493 profissionais de toda a rede municipal de saúde. 

 

CAMPANHA RECIFE SOLIDÁRIO - Os dias que se seguiram ao maior desastre climático da história foram amenizados por uma verdadeira onda de solidariedade na cidade. Sob coordenação da Prefeitura, a campanha Recife Solidário arrecadou mais de 329 mil toneladas de donativos e mais de 201 mil itens de primeira necessidade, como colchões, cobertores e materiais de higiene pessoal. Ao longo dos dias, foram montados pontos descentralizados no edifício-sede da Prefeitura, Sítio Trindade, Parque Dona Lindu, nos shoppings Plaza, Recife, Tacaruna, Boa Vista e RioMar, nas lojas da rede Novo Atacarejo, da Drogaria São Paulo e dos supermercados Big de Casa Forte, da Avenida Caxangá, de Boa Viagem, na Avenida Recife e no Shopping Tacaruna.

 

REFORÇO NA OPERAÇÃO DE LIMPEZA - Em meio às fortes chuvas, a Prefeitura do Recife reforçou as ações de limpeza em toda a cidade, especialmente nas áreas mais afetadas, e de canais e rios que cortam o município. Desde o último dia 23 de maio, foram recolhidas quase 82 mil toneladas de lixo e entulhos, sendo o material direcionado para CTR Candeias, situado em Muribeca. As operações contaram com o efetivo de 2 mil trabalhadores da Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb).

 

RIOS E CANAIS - Desde o dia 28 de maio, a Emlurb também intensificou a limpeza dos rios e canais que cortam a cidade. De lá para cá, foram retiradas mais de 710 toneladas de lixo de lixo e entulhos somente nesses locais. Como exemplo, no Rio Beberibe, foram retiradas mais de 300 toneladas de lixo do local com 17 caminhões caçamba. No Rio Tejipió foram removidas 50 toneladas de resíduos sólidos. Em dois trechos do Rio Jiquiá, foram removidas 80 toneladas de resíduos. Até os meses de agosto e setembro a Emlurb vai continuar atuando na limpeza em 30 canais e trechos de rios.

 

ALARGAMENTO DO RIO TEJIPIÓ E PARQUE ALAGÁVEL - A Prefeitura do Recife deu início à urbanização das margens do Rio Tejipió, no trecho próximo à Avenida Recife, entre os bairros de Areias e do Ipsep. A área ganhará um Parque Alagável, com área total de 3,9 mil m², que inclui o alargamento da calha do rio e a implantação de equipamentos públicos, como minicampo, playground, áreas para jogos, cooper e piquenique. A demolição dos imóveis situados na beira do rio, necessária para o projeto. O processo de desapropriação das casas começou em 2021 e a licitação para contratação da empresa responsável pelas demolições ocorreu no primeiro semestre. O conceito de Parque Alagável contempla a criação de um espaço extra para as águas, contando ainda com vegetação pensada para absorver a água e fomentar a biodiversidade local. No caso do Rio Tejipió, a intervenção tem também o objetivo de atenuar o histórico problema de drenagem na região, com o alargamento da calha.

 

RECURSOS FEDERAIS PARA URBANIZAÇÃO E MORADIA POPULAR - O prefeito João Campos se reuniu com o ministro do Desenvolvimento Regional, Daniel Ferreira, para solicitar a liberação de recursos para a realização de obras de contenção de encostas no Recife, além do envio de verba para investimentos em habitação. Na ocasião, o gestor municipal cobrou o repasse de R$ 74 milhões remanescentes de um convênio celebrado entre a Prefeitura do Recife com a União, desde 2012, via o PAC Encosta, que totalizava R$ 150 milhões. A liberação desse montante, para serviços nas encostas da cidade, já foi autorizada pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, mas os recursos não chegaram. Além disso, o prefeito João Campos reforçou o pleito de mais R$ 300 milhões para a execução de outros projetos relacionados a contenção de encostas e outros R$ 200 milhões para a construção de unidades habitacionais.

 

PESQUISA DE PREÇOS DO PROCON RECIFE - Com forma de combater o aumento excessivo nos preços dos principais eletrodomésticos da linha branca, como geladeira, fogão e máquina de lavar roupas em função da liberação do AME, o Procon Recife realizou pesquisa em 10 lojas localizadas no centro da cidade e no bairro de Casa Amarela. Foram relacionados 33 eletrodomésticos com os menores e maiores valores cobrados. As visitas foram realizadas nos últimos dias 8 e 9, em cinco diferentes redes de lojas e foram verificadas variações nos preços e as empresas notificadas.

 

Ações da Prefeitura em números:

- 17.681 famílias contempladas com o AME;

- R$ 44.202.500,00 liberados;

- Mais de 40 mil famílias cadastradas;

- Bairros mais contemplados: Imbiribeira, Ibura, Torrões, Areias, Caçote, Afogados, Várzea, Curado, Iputinga, Coqueiral;

- 853 auxílio moradia concedidos;

- Mais de 3 mil ocorrências registradas pela Defesa Civil;

- 1.123 deslizamentos de barreiras;

- 1.306 imóveis com danos ou risco;

- 8.705 vistorias realizadas;

- 3.739 pontos de lonas;

- 1.155.628 de metros quadrados cobertos com lonas;

- 321 mil toneladas de donativos;

- 200 mil itens de primeira necessidade;

- 82 mil toneladas de lixo e entulhos recolhidos;

- 24 obras de contenção de encosta em execução;