NOTÍCIAS

Saúde | 08.05.19 - 10h37

Profissionais da PCR participam de curso de Gestão de Políticas de Saúde Informadas por Evidências

img_alt

Vinte trabalhadores da Secretaria de Saúde do Recife serão qualificados para utilizar o conhecimento científico na tomada de decisões nas políticas públicas (Foto: Cortesia)

 

Até o próximo ano, 20 profissionais de diversas áreas de atuação da Secretaria de Saúde (Sesau) do Recife participarão do Projeto “Gestão de Políticas de Saúde Informadas por Evidências” (ESPIE), desenvolvido pelo Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa (IEP/HSL), em parceria com o Ministério da Saúde. A solenidade de abertura deste programa, que compreende um curso de especialização, aconteceu nessa terça-feira (7), no auditório da Secretaria Estadual de Saúde (SES), no bairro do Bongi.

Desenvolvido na modalidade semipresencial, a formação tem carga horária total de 360 horas, sendo 288 horas presenciais e 72 horas de trabalho a distância. O curso de especialização do ESPIE tem como objetivo qualificar gestores de políticas de saúde, utilizando conhecimento científico para construir projetos de intervenção com foco na transformação da realidade e, assim, promover melhorias contínuas no SUS. Ao todo, em Pernambuco, participarão 40 pessoas de diversas instituições, como Secretaria de Saúde do Recife, SES, Universidade de Pernambuco (UPE), Conselhos Municipal e Estadual de Saúde e Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip).

Para o secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, o ESPIE representa também a valorização do Sistema Único de Saúde (SUS). “Na hora em que retomamos o tema da evidência científica para a tomada de decisões nas políticas públicas, trazemos para todos nós a responsabilidade de sermos facilitadores e multiplicadores da força da ciência. Isso aproxima a gestão pública, a sociedade civil e a academia, agregando conhecimento para o fortalecimento do nosso SUS”, relatou. O gestor ainda frisou que o Recife foi a primeira capital brasileira a formalizar, em 2013, um núcleo de evidência científica para tomada de decisão em políticas públicas, que resultou, entre muitas outras conquistas, no desenvolvimento do Programa Mãe Coruja Recife.

 “O grupo que vai participar do curso vai desenvolver, junto aos gestores, atividades que façam com que as evidências científicas entrem na pauta das decisões da gestão das políticas de saúde nas suas respectivas regiões, para que as escolhas sejam fundamentas no conhecimento disponível mais adequado”, destacou umas das facilitadoras do ESPIE e membro do Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa, Carla Vieira.

Tulio Quirino, chefe da divisão de Educação em Saúde da Sesau, é um dos participantes do ESPIE e acredita que o curso é muito importante no sentido de fortalecer o Recife como campo de pesquisa e produção de evidências cientificas. “Isso será fundamental para que nós possamos nos utilizar dessa produção dos pesquisadores que transitam na nossa rede de saúde para tomar decisões que contribuam com o andamento dos processos da gestão de assistência à saúde”, comentou.