NOTÍCIAS

Educação | 14.05.19 - 12h30

Canal na Mustardinha ganha Ecobarreira

img_alt

Equipamento experimental, capaz de reduzir a quantidade de resíduos sólidos no canal, é fruto de trabalho científico (Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR)

 

Mais de 20 estudantes, além de professores da Escola Municipal Professor Antônio de Brito Alves, na Mustardinha, participaram na tarde desta segunda-feira (13), da instalação da Ecobarreira, protótipo sustentável, feito a partir de pequenas garrafas pets conectadas por um cabo, capaz de reduzir a quantidade de resíduos sólidos no canal. O projeto, fruto de um trabalho científico produzido pelos próprios alunos contou com a ajuda e orientação da Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife – Emlurb, para a instalação.

“Essa etapa é o ponto alto de todo o projeto, o momento em que vemos o resultado de um trabalho que foi feito com tanta dedicação pelos alunos e que contou com a ajuda da comunidade como um todo, sendo implantado. Mas como ele é um experimento, a próxima etapa é ver se funcionou, as alterações necessárias e o que precisa melhorar”, destacou a professora Maria Lopes, uma das orientadoras do projeto, ao lado dos professores Alexandre Conte, Taciane Pires dos Santos e Valdizia Xavier Duarte.

Desenvolvido desde 2015, o projeto teve caráter multidisciplinar. Durante a execução do projeto os estudantes desenvolveram diversas competências, como capacidade de auto avaliação, pesquisa, resolução de problemas, criatividade, raciocínio tecnológico, além de se envolverem ativamente com as questões relacionadas aos impactos ambientais da comunidade. A EcoBarreira, é uma alternativa pioneira de estratégia sustentável na cidade, que conquistou ainda o primeiro lugar na Feira de Conhecimentos do Recife em 2018, e credenciamento para uma feira científica no Paraguai.

Para Marília Dantas, diretora de Manutenção Urbana da Emlurb iniciativas como essa são importantes para minimizar o impacto do lixo nos canais e na vida das pessoas. “A Prefeitura investe em torno R$ 7 milhões anualmente para fazer a limpeza dos 99 canais na cidade. Antes de tudo nós contamos com a colaboração da população para que não jogue lixo nos rios, canais e ruas, mas essa ação é uma importante iniciativa e, como é o primeiro protótipo vamos fazer avaliações constantes para saber se de fato ele está atingindo o objetivo para o que foi proposto e, assim, ver as possibilidades de instalação”, destacou.

Clara Sales, do 9º ano, uma das alunas que participaram do projeto conta como foi participar da criação da ecobarreira. “Nosso objetivo foi sensibilizar os alunos e a comunidade sobre o descarte incorreto do lixo e o que ele pode causar. A criação da Ecobarreira foi mais uma forma de nós ajudarmos a comunidade em que moramos para diminuir os impactos da poluição, desde as enchentes ao combate de doenças”, destacou.