NOTÍCIAS

Saúde | 23.08.19 - 16h48

Profissionais de Saúde do Recife iniciam cursos de Práticas Integrativas

img_alt

Foram oferecidas vagas para 12 cursos diferentes, com o objetivo de ampliar e descentralizar as práticas terapêuticas alternativas na rede municipal de saúde (Foto: Ikamahã/Sesau PCR)

 

Mais de 350 profissionais da Secretaria de Saúde da Prefeitura do Recife começaram, na última quarta-feira (21), o Curso de Formação em Práticas Integrativas. A aula inaugural aconteceu no auditório do Banco Central, em Santo Amaro. Foram oferecidas vagas para 12 cursos diferentes, com o objetivo de ampliar e descentralizar as práticas terapêuticas na rede de saúde.

As aulas estão acontecendo no Centro Universitário São Miguel (Unisãomiguel), na Boa Vista, e se estendem até dezembro, de acordo com a formação escolhida por cada profissional. Estão participando do curso profissionais da Atenção Básica dos Distritos Sanitários 1 e 2 (área central e zona Norte da cidade), para que se tornem aptos a adotar as práticas nas unidades em que trabalham.

Cada inscrito pode escolher duas das 12 práticas ofertadas no curso: alimentação integral, automassagem, contação de histórias, dança circular, Liang Gong, meditação, movimentos bioenergéticos, O brincar como recurso terapêutico, práticas corporais da medicina chinesa, shantala, terapias externas antroposóficas e uso racional de plantas medicinais.

As Práticas Integrativas e Complementares (PICs) são tratamentos que utilizam recursos terapêuticos alternativos aos tratamentos tradicionais, reconhecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS).  “Com essa formação, o profissional de saúde se torna terapeuta das práticas integrativas e pode usar esses recursos alternativos nas unidades de saúde em que trabalham. A cultura das PICS precisa ser fortalecida no nosso sistema de saúde”, defendeu Nicolas Augusto, coordenador da Política de Práticas Integrativas e Complementares do Recife.

De acordo com o coordenador, a primeira edição do Curso de Formação em Práticas Integrativas e Complementares no SUS aconteceu em 2018 para os profissionais do Distrito Sanitário 3 e, até hoje, rende bons frutos. Boa parte dos profissionais aderiram às práticas e implementaram mais três pontos de cuidados na região: no Polo do Programa Academia da Cidade do bairro de Santana, na Unidade Básica de Saúde Sítio São Brás, em Dois Irmãos, e no Ambulatório Especializado da Mulher, na Tamarineira. A intenção é descentralizar para que toda a cidade tenha acesso às ações.

“Espero que a gente possa aprender sobre essas terapias alternativas para ter mais uma forma de ajudar a população, pois muita gente só vê como opção a medicina tradicional. O pessoal é muito fixado em remédios, que obviamente são importantíssimos, mas nem sempre são necessários”, opinou a agente de saúde do Distrito 2, Marlene Moura, que está tendo seu primeiro contato com as PICS através das aulas de shantala

REFERÊNCIA - Na rede municipal de saúde do Recife, a Política de Práticas Integrativas e Complementares possui duas unidades de referência: a Unidade de Cuidados Integrais do Recife (UCIS) Professor Guilherme Abath, no bairro do Hipódromo; e o Serviço Integrado de Saúde (SIS), no Engenho do Meio. O acesso aos serviços ocorre por demanda espontânea ou por encaminhamento de profissionais de saúde. Nessas unidades, atuam fisioterapeutas, médicos, psicólogos, assistentes sociais, nutricionistas, farmacêuticos, profissionais de educação física, biomédicos, cirurgiões-dentistas e terapeutas ocupacionais.