NOTÍCIAS

Educação | 02.10.19 - 15h55

Projeto que aprimora a leitura e escrita de alunos da Rede Municipal ganha credencial na Colômbia

img_alt

Estudantes da Escola do Coque tiveram trabalho reconhecido e vão participar de uma feira no Paraguai em 2020 (Foto: Divulgação)

 

Utilizar um meio de comunicação quase desconhecido das crianças dessa geração, mas muito eficaz para desenvolver a escrita e a leitura. Assim surgiu o projeto “Das Cartas aos Postais: mostrando a nossa cidade” que alunos do 3º Ano da Escola Municipal do Coque apresentaram na Feira Internacional de Ciência, Tecnologia e Inovação – FEICTIN – agora em setembro, na Colômbia. No evento, os estudantes recifenses foram credenciados para uma feira de ciências e conhecimento, que será realizada no Paraguai, no próximo ano.

O trabalho com as Cartas foi uma oportunidade para que os estudantes conhecessem sobre esse objeto de correspondência que por muito tempo foi a principal forma de comunicação entre as pessoas. O projeto propôs a escrita de cartas pessoais e cartões postais como uma estratégia para que os alunos pudessem escrever textos reais para leitores reais, buscando uma autonomia e uma escrita significativa. Os leitores reais foram os estudantes da Escola Mestre Vitalino, do Alto do Moura, em Caruaru.

Para os estudantes se apropriaram de alguns elementos essenciais ao gênero foram aprofundados os conhecimentos geográficos e históricos do Recife e Caruaru. Eles pesquisaram sobre a história do Mestre Vitalino e dos pontos turísticos do Recife e Caruaru, informações que serviram de subsídio para que produzissem não só cartas, como cartões postais que foram confeccionados e pintados artesanalmente pelas turmas. No conteúdo elas escreveram sobre os pontos turísticos do Recife, como a rua da Aurora, o Forte das Cinco Pontas, Marco Zero, Alto do Moura, Mestre Vitalino. Depois de se corresponderem por certo tempo, destinatários e remetentes se conheceram: os alunos de Caruaru vieram ao Recife e os de Recife foram conhecer a realidade dos novos amigos no Alto do Moura, em Caruaru.

Com esse gênero foi possível se conhecer mais o cotidiano da cidade, a partir da leitura de imagens, observando os aspectos estéticos das construções e paisagens comparando o ontem e o hoje, ampliando os conhecimentos em relação ao ambiente em que vivemos. Pensando na escrita, o projeto possibilitou aos estudantes o conhecimento do gênero carta pessoal e cartão postal, bem como a produção do gênero em diferentes momentos cumprindo uma demanda educativa de escrever com apropriação comparando o formal e o informal presente na língua.

De acordo com a coordenadora pedagógica da Escola Municipal do Coque, Ana Paula Alcântara, o interesse das crianças foi intenso e envolveu a família e os professores, que ajudaram pesquisando cartas e postais antigos recebido por eles. “Foi um projeto que nos emocionou pois revisitamos lembranças e memórias nossas e de familiares. Foi um projeto que envolveu muito afeto”, comentou Ana Paula. A professora orientadora do projeto Maria do Rosário Neves acredita que ele contribuiu em muito para que as crianças que ainda não liam, desenvolvessem a habilidade. “Todas as crianças envolvidas conseguiram aprender a ler”.