Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer

NOTÍCIAS

Esportes | 12.10.19 - 18h48

Jogos Paralímpicos do Recife se encerram neste domingo com o torneio de Futebol de 5

img_alt

No sábado (12), centenas de paratletas participaram das disputas de Goalball, Basquete em Cadeira de Rodas, Parabadminton, Tênis de Mesa e Atletismo (Foto: Carlos Augusto/PCR)


Os Jogos Paralímpicos do Recife movimentaram o Parque Santos Dumont e o Instituto dos Cegos Antônio Pessoa de Queiroz, na manhã e tarde deste sábado (12), com disputas de Goalball, Basquete em Cadeira de Rodas, Parabadminton, Tênis de Mesa e diversas modalidades de Atletismo. Realizada pela Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer (Seturel), a competição se encerra no domingo (13), quando acontece o torneio de Futebol de 5, no Instituto dos Cegos, das 8h às 13h.

A pista do Parque Santos Dumont, em Boa Viagem, foi palco para as provas de Atletismo: corridas de 60m, 75m, 100m, 150m, 200m, 400m e 1500m, arremesso de dardo, disco e peso, salto em distância. O paratleta José Wellington Alves da Silva, de 48 anos, foi o campeão dos 1500m. “Ganhei ouro também no Circuito da Caixa, disputado em São Paulo no mês de setembro. A principal importância dessas competições voltadas para nosso segmento é o incentivo para que mais pessoas se dediquem aos esportes paralímpicos. Eu pratico há mais de 30 anos e não sei mais o que é tomar remédio”, afirma.

Ali perto, quem também disputava os Jogos era Thyago Marcos, recordista brasileiro no arremesso de disco, dardo e peso na categoria F-33, voltada para pessoas com paralisia cerebral. “Ele passou duas semanas internado com pedras nos rins, mas fez questão de participar”, conta a irmã do paratleta, Chris Santos. 

Diretor de Esportes do Centro Evangélico de Reabilitação e Treinamento Ocupacional (Certo) e representante dos paratletas no Conselho Municipal de Esportes do Recife, Silvano Dornelas também se inscreveu nas provas de arremesso de peso, dardo e disco. “Os Jogos Paralímpicos são muito importantes porque permitem a homologação das nossas marcas, o que dá condições aos paratletas de entrar no ranking oficial e pleitear bolsas estaduais e nacionais. Os resultados vão para a federação estadual, que os envia ao Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB)”, explica.

 

Os Jogos Paralímpicos do Recife 2019 contam com a participação de cerca de 350 paratletas. Entre as novidades deste ano estão a classificação funcional pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) para as modalidades de Basquete em Cadeira de Rodas e Atletismo; e a participação de mulheres na disputa do Basquete, que teve também a presença de cinco equipes das cidades de Fortaleza, Maceió e João Pessoa.