NOTÍCIAS

Saúde | 06.11.19 - 18h45

Profissionais de saúde do Recife agora contam com Linha de Cuidado em Hanseníase

img_alt

Documento lançado nesta terça-feira (6) é um guia prático para orientar e uniformizar diagnóstico e tratamento de pacientes acometidos pela doença. (Foto: Ikamahã/SesauPCR)

 

Um guia prático para orientar e uniformizar a atuação de profissionais de saúde envolvidos no diagnóstico e no cuidado aos pacientes com hanseníase. Esse é o objetivo da Linha de Cuidado em Hanseníase, lançada pela Prefeitura do Recife, na manhã desta terça-feira (6). Durante o evento, que reuniu cerca de 150 colaboradores da Secretaria de Saúde (Sesau) do município, ainda foi feita a entrega simbólica das maletas, que contém kits para realizar a avaliação do grau de incapacidade física.

O secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, ressaltou que o documento, além de garantir a identificação precoce e promover o tratamento adequado, tem um papel social muito importante na quebra de estigmas e preconceitos com as pessoas acometidas pela doença e na sua reinserção na sociedade. “Não existe outra doença tão arraigadamente ligada à pobreza quanto a hanseníase. E como, hoje, no Brasil, temos um cenário de aprofundamento da desigualdade, esta doença encontra lugar para se nutrir da pobreza e isso precisa ser modificado”, destacou.

A Linha de Cuidado em Hanseníase busca compartilhar com todos os profissionais o fluxo dos atendimentos dentro das unidades de saúde da Atenção Básica e referências secundárias, de acordo com o Ministério da Saúde. É através desse guia, por exemplo, que, um profissional vai entender quais casos são encaminhados para o serviço de sapataria ou tirar uma dúvida mais específica sobre o tratamento.

Médica generalista na Unidade de Saúde da Família Brasilit, na Várzea, Maria das Graças Oliveira trabalha há 20 anos cuidando de pacientes com hanseníase. “O cuidado desses pacientes é feito por uma equipe multiprofissional. Ter esse tipo de orientação, na prática, nos ajudará a trabalhar de forma ainda mais integrada. Temos a oportunidade de melhorar a qualidade de vida da população e de diminuir o número de casos dessa doença tão estigmatizada”, pontuou a profissional.

Na ocasião, houve a entrega simbólica das mais de 360 maletas que contêm os kits de Avaliação da Função Neurológica Simplificada e do Grau de Incapacidade Física (GIF). Nos próximos dias, os materiais serão distribuídos para as equipes de saúde nos oito Distritos Sanitários do Recife e ajudarão no diagnóstico precoce e interrupção da cadeia de transmissão da doença.

Cada maleta é composta por materiais como lupa e lanterna para avaliação clínica, tubos de ensaio para teste de sensibilidade térmica, lamparina para aquecimento do tubo de ensaio, além de canetas coloridas para preenchimento da avaliação sensitiva no Formulário de Avaliação Neurológica Simplificada. Os kits também contam com Tabelas de Snellen que auxiliam na avaliação da acuidade visual.

HANSENÍASE – Hanseníase é uma doença infecciosa causada pela bactéria Mycobacterium Ieprae, crônica, de grande importância para a saúde pública devido à sua magnitude e seu alto poder incapacitante, atingindo principalmente a faixa etária economicamente ativa. Todas as unidades de saúde da família do Recife realizam tratamento da doença, que é feito com antibióticos e tem duração de seis a 12 meses. Poucos dias após o início do tratamento, o usuário deixa de transmitir a doença.

SANAR RECIFE - Para atender as doenças consideradas negligenciadas transmissíveis (hanseníase, filariose, tuberculose e geo-helmintíase), a Prefeitura do Recife criou, em 2013, o programa Sanar Recife, que atua em parceria com as Coordenações das Políticas Municipais, desenvolvendo ações como assessoramento de unidades de saúde; acompanhamento e investigação dos casos; fortalecimento da assistência laboratorial, fortalecimento da rede de atenção básica e promoção de ações de educação em saúde.

REFERÊNCIA - Todas as unidades de Saúde da Família realizam tratamento da doença. Na Policlínica Lessa de Andrade, funciona o serviço de sapataria, voltado para os pacientes de hanseníase que necessitam de calçados especiais. Para ter acesso ao serviço, é necessário que o paciente seja encaminhado pela unidade básica. O encaminhamento deve ser realizado pelo médico, fisioterapeuta ou terapeuta ocupacional, contendo todas as especificidades do item a ser confeccionado. A sapataria produz palmilha de descompressão, sandálias, dorso flexor, splinter entre outros.