NOTÍCIAS

Educação | 01.03.18 - 14h36

Secretaria de Educação reúne gestores para discutir projeto Alfaletrando

img_alt

Evento, realizado na EFER Paulo Freire discutiu as ações realizadas durante o ano passado com foco na educação Infantil e no ciclo da alfabetização (Foto: Inaldo Lins/PCR)

 

Na tarde da última quarta-feira (28), mais de 300 coordenadores pedagógicos e gestores escolares das unidades de ensino do Recife, inseridos dentro do Programa de Letramento do Recife (PROLER) se reuniram para discutir as ações realizadas durante 2017 do projeto Alfaletrando. O encontro foi realizado na Escola de Formação de Educadores do Recife (EFER) Professor Paulo Freire, na Madalena.

O objetivo do encontro foi apresentar aos profissionais de ensino a sistematização do trabalho da Assessoria UFPE/CEEL (Universidade Federal de Pernambuco/Centro de Estudos em Educação e Linguagem), com o apoio pedagógico das Pós-Doutoras em Educação, Andréa Brito e Eliana Albuquerque, da Pós-Doutora em Psicologia Carol Perrusi e da Doutora em Educação, Magna Silva, desenvolvido com a Equipe Alfaletramento, acerca da ação metodológica do alfabetizar letrando ao longo do ano passado.

Na abertura do evento, o Secretário de Educação Alexandre Rebêlo falou sobre a importância do encontro. “Para mim este projeto é o mais importante da rede, pois temos a preocupação em garantir, desde o início da escolarização na pré-escola, a alfabetização desses alunos. Temos que ter uma atenção especial com eles e agradeço aos professores e a equipe da UFPE que assumiram conosco esse desafio”, destacou.

No encontro, que teve como foco a educação Infantil e o ciclo da alfabetização, a Assessoria UFPE/CEEL apontou uma série de avanços obtidos ao longo do ano. Magna Silva destacou que foi possível fazer um diagnostico do perfil do professor do ponto de vista do conhecimento, quais os pontos fortes e o que precisa ser melhorado na formação. Também foi realizado um trabalho de formação com a equipe do Núcleo de Alfabetização e Letramento (NALE), além de discussões sobre o planejamento da rotina escolar e o planejamento diário das professoras.

Professora associada da UFPE, Carol Perrusi, Pós-Doutora em Psicologia, destacou ainda a importância do trabalho realizado. “Este é um trabalho contínuo. Mas é preciso acima de tudo escutar as crianças, respeitar seus interesses e necessidades. Também é preciso criar uma rotina com atividades em que as crianças se sintam motivadas e desafiadas a pensar e que elas precisam entender o que é ler e escrever por meio de práticas significativas, só assim é possível dar o primeiro passo no caminho de tornar esse aluno um leitor”, pontuou.