Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação

NOTÍCIAS

Desenvolvimento Econômico e Empreendedorismo | 01.12.21 - 16h03

Recife lidera geração de empregos no Nordeste em outubro e puxa crescimento econômico da região

Capital pernambucana registrou saldo positivo de 4.451 postos de trabalho, um incremento de 0,91% em relação a setembro. Programa Recife Virado, da Prefeitura, vem impulsionando a retomada econômica, estimulando diversos setores da cidade.

O Recife liderou a geração de emprego no Nordeste no mês de outubro ao registrar o maior saldo positivo de postos de trabalho no período, com 4.451 novos vínculos. Essa foi a melhor performance da capital pernambucana em 2021, sendo o sétimo mês consecutivo de alta e o nono no ano. Nos dez primeiros meses, o município já acumula um saldo de 24.696 contratações, resultado que o coloca em segundo lugar na região, segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), do Ministério da Economia. Atualmente, o estoque total de é de 495.175 empregos com carteira assinada. A combinação da chegada de 37 novos grandes investimentos privados a curto, médio e longo prazos e com o estímulo a obras e iniciativas públicas, por meio do programa Recife Virado, vem possibilitando a cidade largar na frente no processo de retomada econômica.

Em outubro, o Recife registrou 16.728 admissões e 12.277 demissões, resultando numa variação positiva de 0,91% em relação ao mês de setembro. Dos 4.451 empregos formais, 2.303 foram voltados para homens e 2.148 para mulheres, com forte tendência no público jovem entre 18 a 24 anos: 2.121 pessoas.

O setor de Serviços, um dos mais tradicionais e pujantes do Recife, puxou a alta na geração de empregos, admitindo 10.094 pessoas e saldo positivo de 2.798. A atividade foi seguida pelo Comércio, com 3.749 postos de trabalho (+1.094); Construção Civil, com 1.818 vínculos (+285); Indústria, com 933 empregos (+172); e Agropecuária, com 134 contratações (+102). 

Fazendo o recorte no Nordeste, o Recife liderou a geração de empregos, seguido de Fortaleza (CE), com 3.900 empregos, e Salvador (BA), com 3.393 vínculos. Comparando os estoques de empregos atuais por número de habitantes, a capital pernambucana aparece com o melhor número dentre as capitais da região, com 0,2920.

No acumulado do ano de 2021, foi registrado saldo positivo de 24.696 empregos, decorrentes de 141.164 admissões e de 116.468 desligamentos, com variação de 5,23%. Nos últimos 12 meses - período que compreende de novembro de 2020 a outubro deste ano -, foram registrados 169.214 admissões e 137.914 desligamentos, sendo apurado um saldo positivo de 31.300 vínculos, apresentando uma variação relativa de 6,73%.

CENÁRIO FAVORÁVEL - Os resultados positivos na geração de emprego consolidam várias ações desenvolvidas pela Prefeitura do Recife, com o objetivo de preparar a cidade para a virada econômica no pós-pandemia. Sob a liderança do prefeito João Campos, foi lançado no início de setembro o programa Recife Virado, um robusto conjunto de iniciativas que buscam dar novo fôlego e impulso para geração de emprego e renda, direcionando políticas públicas que geram impacto na vida dos recifenses. O Recife Virado é fruto da interlocução e do diálogo da gestão municipal com os setores produtivos, os segmentos econômicos e as representações de classes, estabelecendo, assim, diretrizes para o novo momento no pós-pandemia. A iniciativa ganhou um reforço com o programa Recentro, que vai promover um processo de transformação nos bairros do Recife, São José e Santo Antônio, induzindo a moradia na região e estimulando a vocação para comércio e serviços.

Permeando todo esse cenário, o bem sucedido plano de vacinação contra a covid-19 possibilitou que a capital pernambucana se tornasse um case de sucesso na imunização da população, vacinando cerca de 99% da população adulta com ao menos uma dose e mais de 70% com ciclo anticovid completo, permitindo avançar nas flexibilizações das atividades econômicas na cidade.