NOTÍCIAS

Saúde | 06.05.19 - 09h55

Recife termina Dia D contra gripe com 40% das pessoas vacinadas

img_alt

Ao longo da semana, algumas unidades de saúde funcionarão em horário estendido para vacinação. Campanha segue até o dia 31 (Foto: Cortesia)

 

Consulte aqui a lista de unidades com horário estendido

Consulte aqui a lista dos locais de vacinação

 

“O meu exemplo pode ser para várias pessoas, porque tomo vacina há quatro anos, e, quando adoeço, é muito leve. Conheço gente que não toma,  com medo, e fica de cama por vários dias”, fez questão de contar a autônoma Vera Lúcia Pessoa, 65 anos, uma das primeiras a garantir a proteção contra a gripe, no último sábado (4), na Upinha Jardim São Paulo, onde aconteceu a abertura do Dia D de Vacinação contra gripe. Além da Upinha, a Prefeitura do Recife disponibilizou, em toda a cidade, 170 postos de vacinação, além de 22 postos volantes em locais de grande circulação de pessoas.

Desde o início da campanha, mais de 40% do público-alvo total foi imunizado, representando mais de 200 mil doses aplicadas. No Dia D foram vacinadas cerca de 100 mil pessoas. A meta do Ministério da Saúde é vacinar, até o próximo dia 31, pelo menos 90% dos grupos prioritários, que chegam a aproximadamente 500 mil pessoas.

“O Dia D é uma estratégia eficiente para ajudar a melhorar as coberturas vacinais, porque a cidade toda se mobiliza, os postos abrem em um dia que normalmente não funcionam e ainda disponibilizamos a vacina em supermercados, estações de metrô, escolas”, disse o secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia.

Algumas unidades de saúde também começaram a fazer a vacinação em horário alternativo – após o expediente convencional – das 17h às 21h. A lista de unidades com horário estendido está disponível CLICANDO AQUI.

Podem receber a dose de vacina contra a gripe as crianças de 6 meses a menores de 6 anos, pessoas idosas, gestantes, puérperas (mulheres que tiveram filho há menos de 45 dias), profissionais de saúde, professores de escolas públicas e privadas do Recife, povos indígenas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade em cumprimento de medidas socioeducativas; detentos e funcionários do sistema prisional; pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, como diabéticos, além de policiais civis e militares, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas.

A administradora Karla Pinheiro levou o filho Davi Gabriel, de 4 anos, à Upinha no sábado. “É uma obrigação que todos os pais não podem deixar passar em branco, principalmente quando se tem um filho alérgico, como o meu”, disse. “Desde que comecei a tomar, não tenho nada, além de saúde”, contou a aposentada Dermesita Gomes, 84 anos, que recebeu a vacina no posto montado no supermercado Walmart, na Avenida Recife.