Secretaria de Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas sobre Drogas e Direitos Humanos

NOTÍCIAS

Direitos Humanos | 07.11.18 - 22h07

Importância do afeto na 1ª infância é tema de oficina no REC'n'Play

img_alt

O destaque da programação da SDSJPDDH nesta quinta é uma roda de diálogo voltada aos jovens com o youtuber Spartakus Santiago e a ativista e feminista negra Larissa Santiago (Foto: Antônio Tenório/PCR)

 

A importância do afeto para o desenvovimento infantil foi o tema de uma das oficinas de direitos humanos ministradas nesta quarta-feira (07), no primeiro dia de programação da 2ª edição do REC`n`Play - festival de experiências digitais promovido no Bairro do Recife pelo Porto Digital, em parceria com a Prefeitura do Recife, Sebrae, Ampla, Accenture e Smart Networks e Sescoop/PE. Nesta quinta-feira (8), um dos destaques das atividades organizadas pela Secretaria de Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas Sobre Drogas e Direitos Humanos da Prefeitura do Recife (SDSJPDDH) no evento será uma roda de diálogo voltada ao público jovem com o youtuber Spartakus Santiago e a ativista e feminista negra Larissa Santiago sobre formas de organização da juventude periférica a luz das possibilidades que a tecnologia pode trazer para a transformação da realidade dos jovens. 
 
A SDSJPDDH está levando para o REC'n'Play diversas atividades relacionadas aos Direitos Humanos e à Juventude, como oficinas de Whatsapp para pessoas idosas, de Braille, Libras, capoeira e frevo, além de palestra sobre a relação entre avós e netos. Na Agência de Emprego, no Barro do Recife, estão disponíveis materiais de divulgação de todas as campanhas da área de Direitos Humanos da Prefeitura do Recife, até o sábado. No local, também é possível pegar pulseiras de identificação para as crianças, utilizadas nos grandes eventos da cidade para chamar a atenção da sociedade para o desaparecimento de crianças.
 
Nesta quarta, a oficina do Projeto Geração Afeto, da Gerência da Criança e do Adolescente do Recife, teve como convidado especial o cantor, compositor e violonista olindense Thales Ribeiro. A atividade foi realizada no Centro Cultural dos Correios, no Bairro do Recife, para um público de cerca de 80 mães e crianças atendidas pelo Programa Mãe Coruja nos bairros de Santo Amaro e Água Fria. “Acho que o que atrai as crianças é a dinâmica musical e o repertório que utilizo, que vai do cancioneiro popular ao autoral”, resumiu o cantor, que confessou sua paixão eterna pelo público infantil.
 
A chefe de Divisão da Criança e do Adolescente do Recife, Silma Paula Queiroz, aprovou a música que Thales fez para a oficina com histórias cantaroladas desta quarta. "A música que se chama Geração Afeto resume em versos os cuidados que devemos ter com os bebês. A alegria das mães e a interação com as crianças nesta quarta foram contagiantes", avaliou a gestora, que ainda explicou que Geração Afeto é um projeto da SDSJPDDH, em parceria com a Secretaria e Saúde, com foco nas ações de fortalecimento de vínculos familiares e afetivos voltados para a primeira infância.
 
Mãe de Pérolla, de apenas 1 ano e 2 meses, Mayara Rayane, de 25 anos, contou que é acompanhada pelo Programa Mãe Coruja desde o pré-natal. “Assim que recebi o convite para participar dessa oficina confirmei na hora e fiz questão de trazer minha filhinha. Gostei muito”, garantiu a moradora de Água Fria.
 
Outra atividade de Direitos Humanos dentro deste primeiro dia do Rec'n'Play foi a oficina de Whatsapp para pessoas idosas promovida pela Gerência da Pessoa Idosa do Recife, que trouxe para ministrar a oficina Cláudia Silveira, diretora da "60 + Lazer e Companhia", especialista em Gerontologia e instrutora de informática. A atividade se repete na tarde da sexta (9), na Jump, no Bairro do Recife. Poderão participar até 20 idosos, por ordem de chegada. É necessário levar o celular. Nesta quinta-feira (8), também na Jump, a publicitária Elisabete Junqueira, de São Paulo, vai ministrar a palestra "Avosidade - conectando gerações", sobre uma plataforma de relacionamento entre avós e netos criada por ela.
 
Uma terceira atividade da SDSJPDDH nesta quarta-feira foi a palestra "Análise de dados, transparência e políticas públicas: o diagnóstico da condição juvenil no Recife", no auditório da Ponte, no Bairro do Recife. No local, a secretária-executiva de Juventude do Recife, Camila Barros, e o consultor Cláudio Monteiro apresentaram a metodologia do relatório "Diagnóstico da Condição Juvenil no Recife", que está sendo elaborado pela área, junto com pesquisadores. A atividade estava incluída na programação do Gov In Play, que se propõe a discutir a inovação no setor público. Previsto para ser concluído no próximo ano, o relatório utiliza dados públicos sobre escolarização, saúde, rendimento, empregabilidade, segurança, ambiente e moradia para construir diagnósticos socioeconômicos que possam nortear as políticas públicas de juventude da capital pernambucana. 
 
Outro destaque voltado à juventude é o workshop com o youtuber Spartakus Santiago e a ativista e feminista negra Larissa Santiago sobre formas de organização da juventude periférica a luz das possibilidades que a tecnologia pode trazer para a transformação da realidade dos jovens. Batizada de “Conexões periféricas 2.0: workshop de tecnologia para a transformação dos territórios”, a roda de diálogo acontece na tarde desta quinta, no auditório do Museu Cais do Sertão, e é promovida pela Sejuv, em parceria com a empresa global de consultoria e desenvolvimento de software ThoughWorks.
 
O youtuber Spartakus Santiago é publicitário e diretor de arte. Como negro, nordestino e LGBT, ele usa seu canal no Youtube para discutir temas como racismo e LGBTfobia. A baiana Larissa Santiago também é publicitária e coordena espaços online e offline junto com as Blogueiras Negras, além de fazer parte da Articulação Nacional de Negras Jovens Feministas, a Rede de Ciberativistas Negras e a Organização #MeRepresenta. 
 
Além de Spartakus e Larissa, participarão das discussões as desenvolvedoras de software da ThoughtWorks Maíra Araújo e Roselma Mendes, além da secretária-executiva de Juventude do Recife, Camila Barros, que será mediadora do Conexões Periféricas 2.0. O objetivo é debater as realidades e formas de organização da juventude periférica, com destaque para os jovens negros, para compartilhar experiências a luz das possibilidades que a tecnologia pode trazer para a transformação da realidade dos jovens. 
 
As discussões vão girar em torno de redes sociais e mobilização social online e offline; racismo estrutural e estratégias de transformação dos territórios periféricos, entre outros assuntos. O público alvo da ação são pessoas com idade entre 15 e 29 anos, prioritariamente negras e de periferia, que ainda não estão incluídas nesses espaços de discussão sobre tecnologia, criatividade e inovação
INCLUSÃO - Já com foco na temática das pessoas com deficiência, haverá oficina de Braille e de Língua Brasileira de Sinais (Libras). Na primeira, que começou nesta quarta, os participantes podem conhecer a escrita em relevo, conferir como funciona a impressora Braille e ver a exposição de vários materiais em Braille. A ação continua nas tardes desta quinta e sexta, na Softex, no Bairro do Recife. Já na oficina de Libras, será possível conhecer um pouco da comunicação gestual visual para pessoas surdas nas manhãs da quinta e da sexta, no Apolo Beer Café, no Bairro do Recife. As oficinas de Braile e de Libras são ministradas por integrantes da Gerência da Pessoa com Deficiência do Recife. 
 
Já a Gerência de Igualdade Racial do Recife vai levar para o REC'n'Play uma oficina de capoeira e frevo, na tarde do sábado, no Paço do Frevo, no Bairro do Recife. A atividade será conduzida por Carlos Loy, que é percussionista e dançarino do grupo "A Cocada”, além de ser especialista em capoeira, frevo e outras danças populares.
 
Confira a programação completa promovida pela Prefeitura do Recife no Rec'n'Play:http://bit.ly/RecnplayPCR