NOTÍCIAS

Saúde | 08.06.18 - 17h56

Serviço de Teleconsultoria de Saúde do Recife tira usuários de filas de espera

img_alt

Oficina de integração da equipe é realizada na Upinha Moacyr André Gomes. (Foto: Cortesia)

 

Profissionais da equipe do serviço de Teleconsultoria da Secretaria de Saúde da Prefeitura do Recife se reuniram nesta sexta-feira, 08, no auditório da Upinha Moacyr André Gomes, para a Oficina de Integração de Equipe. A proposta é reciclar as diretrizes no atendimento feito por telefone e pelo aplicativo Whatsapp. Desde que foi implantado em 2015, o serviço ajuda a reduzir o agendamento por especialidades.  Mais de 250 médicos da Atenção Básica já utilizam o serviço de Telessaúde do Recife.

Com a Teleconsultoria que funciona por meio de telefone nas segundas, terças, quintas e sextas, das 8h às 12h, e 24 horas pelo Whatsapp, profissionais da Atenção Básica resolvem com especialistas - otorrinolaringologia, proctologistas, cirurgião vascular, cardiologista, proctologia, gastroenterologia e infectologista – necessidades menos complexas de usuários. Em mais de 57% dos casos, nos últimos 12 meses, essas teleconsultas tiraram o paciente da fila de espera. Em um ano, foram contabilizados mais de 1,1 mil atendimentos resolvidos, sem necessidade de agendamento com especialistas.  A procura por proctologista, por exemplo, evitou o agendamento de 66% dos casos atendidos para esta especialidade.

“Com a disponibilidade desses recursos, as vantagens para os usuários das unidades de saúde da família vão desde a integração com o médico da família, evitando o deslocamento desnecessário para o especialista, além de ganhar agilidade na resolução de uma demanda simples que exclui a necessidade de marcação para um especialista”, explicou o coordenador do Telesaúde Recife, Gustavo Godoy. Ele acrescentou que o serviço funciona também como uma rede de apoio e colaboração entre os médicos de serviços diferentes, visando uma formação continuada e a melhoria do atendimento às pessoas. "Trabalhar em rede, melhora a atenção e o cuidado", relata o coordenador do Telesaúde.