NOTÍCIAS

Saúde | 11.02.19 - 20h36

Vigilância Sanitária do Recife inutiliza alimentos de comerciantes durante ação na orla da cidade

img_alt

Nesses dois fins de semana de ação, os técnicos da Secretaria de Saúde realizaram 466 inspeções. Trabalho acontecerá até abril (Foto: Cortesia)

 

Inspetores da Vigilância Sanitária (Visa) da Prefeitura do Recife circularam, durante o fim de semana, na Praia de Boa Viagem, na Zona Sul, dando continuidade à ação de fiscalização sobre a qualidade dos alimentos oferecidos pelos vendedores na orla. No sábado (9) e domingo (10), os profissionais da Secretaria de Saúde do Recife realizaram 227 inspeções e apreenderam vários produtos alimentícios. O trabalho se estenderá pelas barracas, quiosques e comércio ambulante nos bairros de Boa Viagem, Pina e Brasília Teimosa.

Ao todo, os técnicos da Visa recolheram dos vendedores três quilos de ostras, que estavam sem refrigeração, 15 ovos de codorna, seis bisnagas de molhos e 30 caranguejos. “As bisnagas são proibidas por lei, os molhos devem ser oferecidos em sachês individuais. Os caranguejos também estavam fora de temperatura adequada e com presença de insetos”, explicou a gerente de Vigilância Sanitária, Daniele Feitosa.

Além do trabalho com os vendedores, os inspetores também dão orientações educativas aos frequentadores, sobre as características que devem ser observadas na hora de comprar o alimento na praia. Ainda de acordo com Daniele, o objetivo é diminuir a ocorrência de doença diarreica aguda, tanto a incidência isolada quanto surtos, comuns neste período de forte calor.

No primeiro fim de semana da ação (sábado, 2, e domingo, 3), foram feitas 239 inspeções. Na ocasião, os fiscais da Vigilância inutilizaram 45 quilos de gelo que estavam sem selo de inspeção sanitária e duas bisnagas de molho. O trabalho ocorrerá até o início de abril, em parceria com a Diretoria Executiva de Controle Urbano (Dircon), Guarda Municipal e Polícia Militar.

Monitoramento - Até o final de 2018, foram notificados mais de 17 mil casos de doenças diarreicas agudas de residentes no Recife. Em 2017, foram cerca de 15 mil casos, um aumento de aproximadamente 12% em uma ano. No Capital, a Monitorização das Doenças Diarreicas Agudas (MDDA) é realizada por 26 unidades de saúde sentinelas, distribuídas nos oito Distritos Sanitários. Os dados, portanto, não representam o total de atendimentos no município, mas são importantes para detectar, precocemente, mudanças no comportamento das doenças diarreicas agudas nas áreas monitoradas.

Cievs - O Centro de Informações Estratégicas e Respostas de Vigilância em Saúde (Cievs) está à disposição 24h para identificar portadores de doenças que ofereçam risco de ocasionar surtos, como as disfunções diarreicas. O serviço de captação e resposta poderá ser acionado pelo 0800.201.2120. As notificações são realizadas pelas unidades de saúde.

CONFIRA AQUI AS UNIDADES DE SAÚDE