NOTÍCIAS

Saúde | 12.05.20 - 20h30

PCR promove drive thru para vacinação de pessoas com deficiência, nesta quarta (13)

img_alt

Essa opção de imunização estará disponível das 8h às 17h, no Shopping Rio Mar, no Pina (Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR)

 

CONSULTE OS LOCAIS DE VACINAÇĀO AQUI

 

A Prefeitura do Recife disponibiliza, nesta quarta-feira (13), um esquema de drive thru para vacinar as pessoas com deficiência contra gripe no Shopping Rio Mar, no Pina, das 8h às 17h. A estratégia da Secretaria de Saúde (Sesau) do Recife, em parceria com o Grupo JCPM, permite que esse público tenha a opção se vacinar sem sair do veículo, seja ele carro próprio, táxi, transporte por aplicativo, moto ou outro. Desde essa segunda-feira (11), quando teve início a terceira fase da Campanha Nacional de Vacinação contra Gripe, o Programa de Imunização (PNI) do Recife vacinou mais de três mil pessoas.

Para esta reta final da campanha, a Sesau recebeu 180 mil doses enviadas pelo Ministério da Saúde (MS). Além do drive thru exclusivo para as pessoas com deficiência, a vacinação também continua acontecendo em mais de 130 pontos de saúde da Prefeitura do Recife para crianças de 6 meses a 5 anos de idade, pessoas com deficiência, gestantes e puérperas (mães no pós-parto - até 45 dias). A imunização é feita das 8h às 17h, até a próxima sexta-feira (15). Os acamados receberão a dose em casa. A lista atualizada das salas de vacinação está disponível no site da Prefeitura do Recife.

Para a coordenadora da Política de Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência do Recife, Maria Eduarda Lima, o serviço de drive thru vai ser uma opção fundamental para as pessoas com deficiência. “Grande parte dos usuários com deficiência encontra dificuldades no deslocamento até as unidades de saúde. Sem as pessoas saírem do veículo, conseguimos evitar aglomeração, contato com superfícies e contaminação dos meios de locomoção, como muletas, bengalas e cadeiras de rodas, por exemplo. Além disso, a garantia da vacinação contra influenza oferece proteção ao grupo, no sentido de evitar o adoecimento e a busca por serviços de saúde em meio a essa pandemia”, afirma.

Uma das pessoas com deficiência que buscou a imunização nesta semana foi Leandra Silva, que é coordenadora da Fraternidade Cristã de Pessoas com Deficiência. Leandra, que nasceu paraplégica e usa cadeira de rodas para se locomover, fez questão de se vacinar logo no primeiro dia da terceira fase da campanha, na Upinha Nossa Senhora do Pilar, no Bairro do Recife. “Tomando essa vacina, fico mais tranquila porque, mesmo não protegendo contra o coronavírus, imuniza contra a influenza e eu acabo tendo uma proteção”, afirma.  

Este ano, o Governo Federal dividiu a terceira fase da Campanha Nacional de Vacinação contra Gripe em dois momentos. Na segunda etapa da terceira fase, que vai acontecer de 18 de maio a 5 de junho, serão vacinados adultos de 55 a 59 anos de idade e professores das escolas públicas e privadas. 

As pessoas que fazem parte dos grupos prioritários da primeira e segunda fase da campanha e ainda não se vacinaram podem se imunizar nesta terceira fase: pessoas idosas, profissionais de saúde, pessoas com doenças crônicas não-transmissíveis e outras condições clínicas especiais (diabéticos, obesos, transplantados, entre outros), detentos e funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens em cumprimento de medida socioeducativa, profissionais das forças de segurança e salvamento (policiais, militares, bombeiros, guardas municipais etc), além dos portuários, caminhoneiros, motoristas e cobradores de transporte coletivo.

Até o momento, a Secretaria de Saúde do Recife vacinou mais de 320 mil pessoas contra gripe este ano, tendo concluído a vacinação de mais de 215 mil idosos (118%, ultrapassando a meta de 90%) e mais de 68 mil profissionais de saúde da cidade (108% do total, também superando a meta de 90%), além de outras 35 mil pessoas do grupo prioritário da segunda fase. 

DOCUMENTOS – Para agilizar a vacinação, o Programa de Imunização do Recife recomenda que os usuários levem um documento de identificação, a carteira de vacinação e o cartão SUS (se tiverem esses dois últimos). Parte do público-alvo precisa apresentar também documentos que provem a necessidade da imunização. As mães no pós-parto (até 45 dias) devem levar documentação que comprove a realização do parto nos últimos 45 dias, como, por exemplo, a certidão de nascimento da criança.

Já os profissionais das redes pública e privada de saúde, por exemplo, devem levar comprovantes laborais, como crachás ou carteira de trabalho. As pessoas com doenças crônicas não-transmissíveis e outras condições clínicas especiais devem apresentar prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina. Os portuários, caminhoneiros, motoristas e cobradores de transporte coletivo devem apresentar documento comprobatório, como carteira de trabalho, contracheque com documento de identidade, carteira de sócio dos sindicatos de transportes ou carteira de habilitação (categorias C ou E).