Companhia de Trânsito e Transporte Urbano

NOTÍCIAS

Mobilidade | 12.12.17 - 11h34

Prefeitura amplia Zona 30 no Bairro do Recife

 

A partir desta terça-feira (12), a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) vai ampliar a Zona 30 no Bairro do Recife, contemplando, agora, a Avenida Alfredo Lisboa. A via, além de dar acesso ao Marco Zero, também tem intersecção com a Avenida Rio Branco, que está em fase final de pedestrianização, sendo um dos principais pólos de interesse e circulação de pessoas do centro histórico do Recife. A avenida já conta com dispositivo de fiscalização eletrônica e passará a ter velocidade máxima permitida de 30 km/h, ao invés dos 40 km/h atualmente regulamentados.

A CTTU já realizou a mudança de local do equipamento para 30 metros mais à frente, deixando-o mais próximo do cruzamento com a Avenida Rio Branco e com a Avenida Marquês de Olinda. Além disso, foi instalada toda a sinalização horizontal que regulamenta a nova velocidade na via. Embora a medida passe a valer a partir de hoje, o equipamento de fiscalização entra em operação definitiva, autuando quem for flagrado trafegando acima dos 30 km/h, a partir da próxima quarta-feira (20).

Para a presidente da CTTU, Taciana Ferreira, a ampliação da Zona 30 para a Avenida Alfredo Lisboa vai garantir ainda mais segurança ao público que vai desfrutar do novo boulevard. "Com a transformação definitiva da Avenida Rio Branco em via para pedestres, a demanda de pessoas e turistas circulando no Bairro do Recife tende a aumentar. Por isso, é importante tomar medidas de segurança viária a partir da redução da velocidade, promovendo ainda mais conforto para pedestres e ciclistas", afirma.

ZONA 30 - A primeira Zona 30 da cidade foi implantada no Bairro do Recife em junho de 2014. A iniciativa contempla 22 vias do Bairro do Recife, onde a velocidade máxima permitida é de 30km/h, visando a utilização mais equitativa do espaço público entre motoristas, ciclistas e pedestres. O projeto é um sucesso que se demonstra, por exemplo, na redução em 50% do número de acidentes de trânsito com vítima nas vias contempladas pela Zona 30, se comparados os valores registrados entre 2015 e 2017.