NOTÍCIAS

Saúde | 13.03.20 - 15h28

Profissionais de saúde do Distrito Sanitário 5 visitam o Centro Sony Santos

img_alt

Grupo decidiu conhecer o espaço depois de ouvir relatos de violência sofrida por mulheres nas comunidades (Foto: Cortsia)

 

 

O Centro de Atenção à Mulher Vítima de Violência Sony Santos, que funciona em um anexo no Hospital da Mulher do Recife (HMR) Dra. Mercês Pontes Cunha, recebeu, na última quarta (11), uma visita especial. Profissionais do Distrito Sanitário 5 visitaram o local que funciona 24 horas e atende mulheres de todo o Estado. O objetivo da visita foi conhecer o espaço e acompanhar a vivência dos profissionais que atuam no Centro.

O grupo sentiu a necessidade de ir ao centro, após ouvir relatos de violência sofrida pelas pacientes nas comunidades onde as profissionais trabalham. “Estamos sempre na casa dessas mulheres e percebemos alguns casos de violência. Essa parceria é mais uma forma de facilitar a chegada dessa mulher a um serviço de saúde exclusivo. Saímos daqui com o olhar mais aguçado para identificar esses casos”, enfatizou Débora Matos, médica da Família, que acompanhou o grupo.

Além de conhecer a estrutura do equipamento e sua funcionalidade, médicos, recepcionistas, assistentes sociais e enfermeiros participaram de uma pequena palestra voltada para o reconhecimento de alguns indícios, não só de violência física, como também sexual, moral e patrimonial contra as mulheres, que podem ser identificados pelo profissional de saúde durante o atendimento.

“Os Distritos Sanitários são nossa base. Trabalhar em rede e divulgar um serviço como este é fundamental para reduzir os casos de violência. A atuação desses profissionais nas comunidades é de extrema importância para este serviço”, afirmou a coordenadora do Centro Sony Santos, Sandra Leite.

Desde que foi inaugurado, em julho de 2016, o Centro Sony Santos realizou um total de 4.428 atendimentos. O maior número de casos registrados no serviço é de violência sexual, com 555 atendimentos. Em seguida, vem violência física, com 199 atendimentos, e depois, física/sexual, com 132, psicológica, com 81 e psicológica/física, com 21.