NOTÍCIAS

Educação | 13.09.17 - 16h59

Escola Municipal Monteiro Lobato inaugura rádio escolar

Projeto Rádio Escola possui hoje 20 estações em plena atividade na Internet


Na tarde da última terça-feira (12) a Escola Municipal Monteiro Lobato inaugurou a sua web rádio, que ganhou o mesmo nome da unidade de educação, situada no bairro de Peixinhos. A iniciativa, pensada e ensaiada há quase um ano, integra o Projeto Rádio Escola e conta com a produção dos estudantes do 5º ano da unidade de ensino, responsáveis desde a pesquisa dos conteúdos até a locução do programa, no qual são acompanhados de perto por Silvana e Janaína, professoras das turmas.

Com nove minutos de duração, o primeiro programa apresenta aos ouvintes o jingle da rádio, escolhido através de votação, vencida pelo estudante Almir Vagner, cuja voz emoldura a locução “Rádio Monteiro Lobato, onde sua voz fala mais alto!”, permeada pela canção Sítio do Pica-Pau Amarelo, eternizada pelo artista Gilberto Gil. O programa está disponível para audição no canal da escola no SoundCloud.

Segundo Kaline Barros, dirigente da unidade educacional, a escola já possuía o equipamento para produção radiofônica e, em parceria a Unidade de Tecnologia na Educação e Cidadania (Utec) Nascedouro de Peixinhos conseguiu implementar a rádio. “As crianças já construíam textos e poesias, então a rádio foi mais a prática do exercício que eles já faziam. Foi a junção do conhecimento que construímos com eles desde o 1º ano”, disse Kaline. 

A Utec oferece oficina de produção de rádio para as turmas do 5° ano da escola e, desde abril, a professora de tecnologia, Regina Albuquerque prepara os estudantes para a primeira produção. Segundo Josélio, os encontros são realizados duas vezes na semana e a oficina continua para outras turmas. “A produção do conteúdo da rádio desperta nos estudantes o interesse pela leitura. Eles aprendem de forma lúdica e participativa”, avaliou.

Renata Carvalho, professora multiplicadora da UTEC – Nascedouro de Peixinhos, está à frente deste trabalho com estudantes e professores da escola e também faz a edição da rádio. Ela conta que, no início, a maior dificuldade foi que os estudantes desenvolvessem a oralidade própria da locução de rádio. “Tivemos que ensaiar muito e eles foram muito dedicados. O resultado ficou excelente. Estou muito feliz”, comemorou Renata.

Como a escola só oferece turmas até o 5º ano, os participantes da rádio deste ano deixaram uma mensagem para os amigos que irão participar em 2018. Uma delas foi da Ellen Victória, que discorreu acerca da alegria de participar da iniciativa e aproveitou para incentivar os amigos a se engajarem. “É muito bom participar da rádio e eu tenho certeza que os próximos alunos vão adorar. Quero sempre participar de rádios agora”. Mirza Cabral e Francisco Costa, da equipe da Rádio Escola, da diretoria executiva de Tecnologia na Educação, prestigiaram o evento.

Rádio Escola: a criação de web rádios nas escolas municipais teve seu pontapé inicial no ano de 2015, sob a coordenação do professor Jamerson Gomes. Desde então, já são 20 web rádios em plena atividade na Rede Municipal de Ensino do Recife. O objetivo do projeto é desenvolver a capacidade dos estudantes de trabalhar em equipe, aprimorar o exercício da leitura e dos dotes artísticos.

Em cada escola que dispõe de web rádio há um professor e uma turma responsável por comandar o projeto. Os estudantes participam de todas as decisões, desde a escolha do nome da rádio, até a linha de conteúdo a ser produzido, roteiro, locução e a produção. Os programas têm o formato de Podcasts (sistema que disponibiliza gravações no formato MP3 em plataformas que podem ser acessadas por meio da internet), permitindo ao ouvinte livre acesso - inclusive pelo celular - e as produções são ancoradas em plataformas online e aplicativos como o Mixcloud.com. O conteúdo produzido sempre tem um viés didático e informativo, abordando parte do conteúdo que é estudado em sala de aula.  

As escolas Enaldo Manuel e a Antônio de Brito são escolas exemplo de uma forte produção radiofônica. Segundo o professor Jamerson Gomes, o engajamento por parte dos estudantes na web rádio ajuda, principalmente, no desenvolvimento da leitura. "Você percebe que alunos de programas de correção de fluxo, que são os que desfazem a distorção entre idade e série, avançam rapidamente na leitura justamente pela prática de produzir e de interpretar textos nas web rádios". Estudantes dos programas "Acelera" e do "Se Liga" têm suas dificuldades superadas por meio da participação nas produções.