NOTÍCIAS

Educação | 16.02.17 - 21h31

Alunos da rede municipal de ensino do Recife disputam vaga na etapa nacional de torneio de robótica

img_alt

Equipes da PCR ficaram entre as melhores no primeiro dia de disputa do First Lego League (FLL), que segue até esta sexta, no Sesi de Paulista (Foto: Lú Streithorst/PCR)

 

As equipes da rede municipal de ensino do Recife tiveram bom desempenho no primeiro dia da etapa regional do Torneio de Robótica First Lego League (FLL), conquistando a segunda, quarta, quinta e sétima colocações. A competição começou nesta quinta-feira (16) e segue até a sexta (17), no Sesi de Paulista, reunindo 23 times de escolas públicas e privadas de Pernambuco, Paraíba e Maranhão. Cinco times da Prefeitura do Recife, com cerca de 40 alunos, disputam a classificação para a fase nacional, que ocorrerá entre os dias 17 e 19 de março, em Taguatinga (DF).

Com 165 pontos, a equipe da Unidade de Tecnologia na Educação e Cidadania (Utec) Gregório Bezerra ficou em segundo lugar e disputa o título nesta sexta. "Ainda dá para melhorar muito. Erramos em alguns detalhes e vamos treinar durante a noite para corrigir", avalia Ryan Vinícius Morais, campeão da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) de 2016 e um dos integrantes do time da Utec. "A experiência da OBR me ajudou muito na parte da programação, por exemplo. Já vi que o clima aqui no FLL é mais amigável, com mais aprendizado e menos competição", acrescenta seu colega Isaías Francisco da Silva Filho, vice-campeão no ano passado.

Composta por 6 alunos, a equipe da Escola Municipal Almerinda Umbelino de Barros também se destacou, ficando na quarta colocação com 58 pontos. "Fomos bem, mas ainda tivemos alguns problemas. Vamos treinar mais para a decisão. Já participamos da OBR no ano passado e a experiência foi útil", afirma o estudante José Rodrigo de Souza, que comandou os robôs junto com Ozildo Silva Filho. O time da Escola Municipal Alexandre Muniz terminou o dia em quinto lugar, com 56 pontos, enquanto a escola Jônatas Braga está em sétimo, com 51 pontos. A disputa será retomada na manhã da sexta e as finais acontecem no turno da tarde.

EVENTO - O FLL é considerado uma das maiores competições mundiais de robótica  e envolve jovens de 9 a 16 anos. Nos dois dias do torneio, os 240 jovens envolvidos na etapa regional de Pernambuco apresentam um projeto de pesquisa e um robô. Na temática proposta, pessoas e bichos devem se aliar na missão de fazer a vida melhor para todos. Os participantes precisam identificar problemas de cooperação entre seres humanos e animais e desenvolver soluções inovadoras para facilitar o dia a dia dos dois lados. Para cuidar de problemas de saúde de animais em extinção, por exemplo, eles precisam ser transportados para laboratórios e recebem cuidados especiais.

Além disso, os participantes são avaliados quanto ao Design do robô, onde a equipe planeja, projeta e constrói o robô com peças Lego; Core Values, que leva em conta valores como trabalho em equipe e espírito colaborativo entre os participantes do grupo, e o Desafio do Robô, quando os robôs têm dois minutos e meio para cumprir as missões propostas. O objetivo do FLL é desenvolver nos jovens o interesse pela ciência e tecnologia. No Brasil, o torneio ocorre em outros dez estados, envolvendo 1.200 times e 12 mil competidores, ao mesmo tempo em que as seletivas acontecem em mais de 80 países, onde participam uma média de 230 mil jovens e adolescentes.