Secretaria de Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas sobre Drogas e Direitos Humanos

NOTÍCIAS

Juventude | 16.08.21 - 19h00

Jovens recifenses iniciam curso sobre mudanças climáticas

img_alt

A formação “Juventude no Clima”, promovida pela Prefeitura do Recife em parceria com o movimento Fridays For Future, vai capacitar jovens recifenses sobre mudanças e impactos climáticos. (Foto: Brenda Alcântara)

 

Um importante passo para inserir a discussão sobre mudanças climáticas na conversa dos jovens foi dado no último sábado (14), no Museu Paço do Frevo, no Bairro do Recife. Na ocasião, participaram da aula inaugural os jovens selecionados para a formação “Juventude no Clima”, promovida pela Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria Executiva de Juventude (Sejuv), em parceria com Instituto Ayíka e o movimento Fridays For Future Brasil. A aula inaugural do curso contou com a participação da vice-prefeita do Recife, Isabella de Roldão, do secretário-executivo da Sejuv, Marcone Ribeiro, e do secretário de Meio Ambiente do Recife, Carlos Ribeiro. 

“Os jovens são a voz do inconformismo e a vanguarda das transformações que queremos ver no mundo. Mas para que possam liderar esse movimento de mudança, precisam ter acesso a educação e conhecimento amplo. Por isso, minha alegria é imensa em contribuir com a aula inaugural do curso de Formação Juventude no Clima. Iniciativas como essa são sementes na busca pelo desenvolvimento sustentável, que envolve o futuro de todas e de todos nós”, pontuou a vice-prefeita do Recife, Isabella de Roldão.

Dos quase 70 jovens inscritos, 12 foram selecionados para participar da formação “Juventude no Clima”, que tem a proposta de expandir as redes de juventudes na discussão do clima e levar para as comunidades informações sobre os impactos climáticos. Para serem escolhidos, os jovens obedeceram o critério de ter entre 15 e 26 anos de idade e ser morador do Recife.  Foram selecionados dois jovens de cada uma das seis Regiões Político Administrativa (RPA) do Recife. Metade das vagas foram destinadas para jovens autodeclarados negros e/ou pardos e a outra metade foi destinada para jovens mulheres.

O secretário-executivo da Sejuv, Marcone Ribeiro, reforçou a necessidade de incluir os jovens na discussão sobre o clima e a importância de fomentar o conhecimento dentro dos territórios. “A atual gestão tem começado a atuar de maneira mais contundente sobre a necessidade de criar políticas públicas para discutir protocolos, repensar formas de atuação sobre questões climáticas dentro do território e potencializar isso dentro da gestão pública. Enquanto órgão de Juventude, nosso trabalho é fomentar novas lideranças jovens em seus territórios para que eles se tornem multiplicadores do conhecimento sobre o clima por meio de suas próprias vivências e a partir de suas próprias realidades. Para selecionar os participantes, utilizamos critérios como paridade de gênero, igualdade racial e, sobretudo, a representação de cada RPA da cidade justamente para potencializar a voz da juventude”, reiterou o gestor. 

Na aula inaugural, foi entregue aos alunos um kit de boas vindas, incluindo uma camisa em alusão ao Mês da Juventude. As atividades do curso serão remotas e acontecerão entre os dias 17 de agosto e 2 de setembro,  das 19h às 20h30, duas vezes por semana. 

MÊS DA JUVENTUDE - A formação “Juventude no Clima” faz parte da programação da Secretaria Executiva de Juventude do Recife (Sejuv) em alusão ao Dia Internacional da Juventude, comemorado em 12 de agosto. Durante agosto, o Mês da Juventude, a Sejuv tem realizado diversas pactuações para beneficiar a juventude recifense, entre elas estão  a parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para viabilizar o projeto “Pautando direitos: a condição juvenil e os impactos na saúde pós COVID-19” e a adesão à plataforma digital Um Milhão de Oportunidades (1mio.com.br) em parceria com o UNICEF. Com o intuito de fomentar o diálogo entre gestão pública e sociedade civil, a Secretaria segue realizando ações como a Sejuv Itinerante, que consiste em rodas de diálogos com os jovens em seus territórios para discutir demandas e pensar, em conjunto, em estratégias de execução. Além disso, acontecem também as oficinas do Juventude Participa, que são encontros com instituições para apresentar aos jovens os 11 direitos previstos no Estatuto da Juventude.