Secretaria de Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas sobre Drogas e Direitos Humanos

NOTÍCIAS

Direitos Humanos | 16.09.17 - 00h48

PCR reforça integração entre saúde e assistência social para atendimento às pessoas idosas

img_alt

O objetivo da gestão é potencializar a integração das equipes de saúde e assistência social para garantir a proteção das pessoas idosas em situação de vulnerabilidade social de forma mais rápida e eficiente. (Foto: Lú Streithorst/PCR



A Prefeitura do Recife realizou, nessa quinta-feira (14), uma reunião para ampliação do diálogo intersetorial entre as áreas de saúde e assistência social para garantir um melhor atendimento às pessoas idosas em situação de violação de direitos. Participaram do encontro no sexto andar do edifício-sede da Prefeitura representantes da Secretaria de Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas sobre Drogas e Direitos Humanos do Recife, da Secretaria Municipal de Saúde, do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e do Centro Integrado de Atenção e Prevenção à Violência da Pessoa Idosa (CIAPPI) do Governo do Estado.

Os profissionais da PCR viram a importância do estreitamento desse diálogo porque muitas das pessoas idosas em situação de vulnerabilidade atendidas nos Centros de Referência em Assistência Social (Creas) e acolhidos nas Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI) também são atendidas pelas equipes da atenção básica à saúde. Na reunião, cada componente da rede de proteção à pessoa idosa explicou como funciona sua área de atuação, para que cada setor entendesse os trabalhos desenvolvidos pelo outro. Foram criados grupos de discussão de caso nas seis Regiões Político-Administrativas (RPAs) do Recife.

De acordo com a chefe de Divisão dos CREAS Recife, Vanessa Pessoa, o objetivo é potencializar a integração das equipes de saúde e assistência social nas seis RPAs para garantir a proteção das pessoas idosas em situação de vulnerabilidade social de forma mais rápida e eficiente. “Essa estratégia de gestão integrada para garantir um melhor alinhamento das duas áreas é muito importante para que consigamos encontrar soluções conjuntamente para o caso de cada idoso que sofre violência física ou psicológica. Queremos compartilhar mais as demandas, entender qual é o papel de cada um e dividir as responsabilidades para dar mais celeridade aos encaminhamentos”, explicou Vanessa, que é assistente social.

A coordenadora de Saúde da Pessoa Idosa do Recife, Lúcia Barbosa, disse que as equipes de saúde e assistência social da Prefeitura, de cada RPA, farão reuniões periódicas para melhorar os fluxos de atendimento. “Com uma visão mais completa da rede de proteção aos idosos, conseguiremos olhar os sujeitos de forma integral, avaliando as particularidades de cada situação. Vamos tentar sentar juntos para avaliar os casos e encontrar soluções. Afinando as discussões, vamos conseguir melhorar cada vez mais o atendimento dos usuários”.

A representante do CIAPPI, do Governo de Pernambuco, Glória Cavalcanti, explicou que o centro recebe diariamente várias denúncias de violação aos direitos da pessoa idosa, faz escutas, atendimentos, visitas e encaminhamentos para os municípios de todo o Estado. “Encaminhamos diversos casos para as prefeituras e cobramos os retornos. Muitas vezes não recebemos as devolutivas de várias cidades da Região Metropolitana, mas no Recife notamos que as coisas funcionam porque a capital pernambucana tem uma rede articulada”, avaliou.